Chucrutes (Spieltag 15): a crise aurinegra

Chucrutes (Spieltag 15): a crise aurinegra
FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Aubameyang já viu dias melhores. A foto é um retrato da situação do Borussia (Foto: Getty Images/GOAL.com)

A coisa tá feia em Dortmund: Peter Bosz é demitido após derrota e a crise aurinegra se arrasta; confira o que rolou na rodada 15 da Bundesliga

Confiança. Palavra que define a força de um elo em qualquer relação, especialmente entre time e torcedores. Esse é o elo mais forte do futebol, que o faz ser o que é. Acreditar é o que faz o torcedor vibrar, chorar e não desistir do seu time. A crise aurinegra está instalada. Em Dortmund o lema é ist liebe, amor verdadeiro. Só esse amor mesmo para fazer o torcedor amarelo-e-preto segurar a barra que é torcer para o Borussia Dortmund.

A 15° rodada trouxe mais um jogo sem vitória para o Dortmund, os vacilos do Leipzig – que empatou com o Mainz – e o do Schalke – que ficou no 1 a 1 com M’gladbach. Ah, e é claro, a vitória do Bayern de Munique, o que não é novidade.

Ressaca e crise aurinegra: o técnico vacilão rodou!

peter-bosz-borussia

Peter Bosz não comanda mais o Borussia (Foto: Reuters)

Verdammt, eles não ganham uma! O Dortmund encarou um dos defuntos do campeonato e perdeu. Em casa, os aurinegros receberam o Werder Bremen e foram dominados (alô, Dortmund, não precisa levar esse lema de bom anfitrião a sério!). O time da Vestfália entrou em campo nervoso e ansioso, os papagaios aproveitaram e fizeram os donos da casa repetirem mais um jogo sem vencer.

Com dificuldades na troca de passe, na criação das jogadas, no setor defensivo, überall… o time do agora demitido Peter Bosz estava pressionado, e a pressão vinha de todos os lados –  do adversário, da diretoria, da imprensa e principalmente da torcida.

Logo no primeiro tempo, Maximillian Eggestein recebeu um zuckerpass de Max Kruse, puxou para canhota e marcou para os papagaios. Aubameyang não jogou nada, mas marcou o único gol aurinegro. Antes tivesse terminado tudo igual no Signal Iduna Park, mas o time do norte da Alemanha estava obstinado a arrancar a vitória e o responsável por essa façanha foi Theodor Selassie. Vale lembrar que o Bremen não vencia o Dortmund há mais de uma década.

Bosz teimou em impor um estilo que não era o adequado para as características do time. Nesse último jogo, por exemplo, colocou Marc Bartra para jogar mais pela direita e foi duramente criticado. A defesa aurinegra é uma das mais vazadas, o time é limitado em campo, inseguro e ineficiente finalizando.

Uma das cenas mais tristes foi ver a torcida deixando o estádio antes do término da partida. Significa que os próprios torcedores não acreditam na capacidade do time. Que tipo de credibilidade um time assim tem? Nenhuma! O que resta é tentar se levantar da merda lama, se reinventar e terminar o campeonato com a dignidade e o respeito que o torcedor merece.

M’gladbach 1 x 1 Schalke 04 – muito papo e pouco futebol

disputa-de-bola-gladbach-x-schalke

A provocação foi a tônica do jogo (Foto: Bernd Thissen/EPA)

Pense num jogo cheio de reclamações. Isso mesmo, Gladbach e Schalke. Os potros receberam os azuis reais em casa e, apesar do placar, jogaram melhor. Os dois tinham chance de assumir a 2° colocação em caso de vitória, mas se preocuparam demais em bater boca com o árbitro e pouco fizeram de útil.

Christoph Kramer, que não havia marcado até então na Bundesliga, abriu o placar para os foals. O Schalke não estava no seu melhor dia, mas contou com a sorte de um gol contra: o zagueirão Jannik Vestergaard se enrolou e mandou para a rede do próprio time se liga, querido!

Alguns lances polêmicos deram o que falar. Foi um tal de reclama daqui, reclama de lá… vamos jogar bola, Süßigkeiten!

O time de Domenico Nazaré Tedesco estava completamente desgostoso do chucrute, errando lances bobos e  com força ofensiva zero. Franco Di Santo estava uma negação; Guido Burgstaller entrou mas não resolveu; Amine Harit não salvou; e Naldo quase fez besteira. Não foi dessa vez que os azuis reais ou os potros dormiram na vice liderança.

Chucrutes, um toque de Candira e uma pitada de Shuaistai

Frankfurt 0 x 1 Bayern de Munique – se o hobby dos bávaros é vencer, tadi parabéns! A galera da Baviera foi até a Commerzbank Arena e bateu os donos da casa. O chileno Arturo Vidal marcou o goldeness tor da partida e os bávaros seguem mais líderes do que nunca, com uma vantagem de 8 pontos. Os anfitriões até tentaram uma graça, mas o goleiro Tom Starke – não, ele não é o homem de ferro – não deixou. Ninguém segura os caras! O Bayern está pleníssimo na liderança. Mais cerveja, por favor!

RB Leipzig 2 x 2 Mainz 05 – se a Red Bull dá asas patrocina nós!, quem voou foi o Mainz. O time de Sandro Schwarz surpreendeu o Leipzig e arrancou o empate. Robin Quaison e Emil Berggreen marcaram para o Mainz. O time de Ralph Hasenhüttl segue vacilando. Apesar de ter jogado bem, cedeu muito espaço para o adversário. Kevin Kampl e Timo Werner fizeram para os touros. Mesmo com o deslize, o Leipzig segue na sombra do líder.

FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Yanca Rosa

Yanca Rosa

Estudante de Arquivologia da UFF, viciada em futebol! PS.: não me venha com esse papo que futebol é coisa de homem.



Related Articles

Não foi dessa vez: dupla Falcão-Mbappé dizimou as chances do BVB na Champions

A dupla dinâmica do Monaco fez estrago e acabou com as chances do Dortmund (Foto: Reuters) Todos sabiam que a

Cinco vezes Bayern: quem irá parar os bávaros?

Festa na Baviera com o quinto título seguido do Bayern (Foto: Reprodução/Twitter) Com goleada incrível sobre o Wolfsburg, a equipe

Candira (Spieltag 18): “que os jogos recomecem”

Torcedores comemoram a volta do campeonato na rodada 18 da Bundesliga (Foto: Getty images) O retorno unglaublich do alemão! Com

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido