A virada e a sobrevida dos Raiders

A virada e a sobrevida dos Raiders
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Carr comanda virada no melhor jogo da temporada (Foto: Reprodução/Oakland Raiders)

Ataques dominantes, mudanças de lideranças e muita emoção na virada dos Raiders sobre os Chiefs

O Oakland Raiders (3-4) venceu o Kansas City Chiefs (5-2) por 31 a 30 na abertura da Semana 7 da NFL. A vitória veio de virada com contornos dramáticos no final e deu uma sobrevida aos Raiders na busca pelos playoffs. Além de evitar uma disparada dos Chiefs na liderança da AFC Oeste, Oakland encerrou uma freguesia recente frente ao rival.

O início frenético

Para quem se acostumou a ver um Thursday Night Punt, a partida começou bem diferente do comum. As quatro campanhas do primeiro quarto terminaram com pontuação. Para os Chiefs, Harrison Butker fez um field goal de 53 jardas e Travis Kelce anotou um TD de 10 jardas. Para os donos da casa, dois touchdowns de Amari Cooper, um de 38 e outro de 45 jardas.

No segundo quarto apenas os visitantes pontuaram. Porém, a jogada mais curiosa foi de Oakland. Após um falta de late hit de Marcus Peters em Derek Carr, Marshawn Lynch saiu que nem um louco da sideline e empurrou o juiz para tentar bater no cornerback. Beast Mode foi excluído da partida e deve receber multa pesada da NFL.

Após sair da linha de 1 jarda, Alex Smith conduziu uma campanha que terminou numa linda big play de 64 jardas para o TD de Tyreek Hill. Este foi o 16º touchdown da carreira do WR – metade deles foram em jogadas para mais de 50 jardas. KC ainda anotou um FG de 39 jardas. Por outro lado, Oakland teve um bloqueado de 53 jardas e Giorgio Tavecchio mandou um de 45 para fora. Ficou 20 a 14 para os Chiefs no intervalo e as equipes combinaram para 537 jardas no show dos ataques contra as defesas.

david-amerson-chiefs-x-raiders

David Amerson foi queimado mais uma vez. Santa novidade, Batman (Foto: Marcio Jose Sanchez/AP)

O final ainda mais frenético

A liderança continuou mudando de mãos no início do terceiro quarto, após TD de 4 jardas de DeAndre Washington. Keith McGill entrou no lugar de David Amerson, que foi queimado naquela big play do primeiro tempo. Aliás, Amerson é queimado todo jogo, toda hora. A mudança não surtiu muito efeito. Smith deu passe ruim nas mãos de McGill, o CB não interceptou e a bola foi parar nas mãos de Albert Wilson, que anotou um TD de 61 jardas.

Após outro punt dos Raiders, os Chiefs ampliaram a vantagem para 30 a 21, graças a um FG de 37 jardas de Harrison Butker. Os mandantes diminuíram para 30 a 24 após um FG de 21. Kansas começou a gastar o relógio com bastante jogo terrestre. Depois de alguns punts dos dois lados, a bola veio para os Raiders faltando 2 minutos e 38 segundos, com apenas um timeout para pedir.

A sobrevida

A campanha da vitória foi atordoada e sofrida até o final. Diversas conversões longas de terceiras e quartas descidas. Jared Cook conseguiu um TD de 26 jardas faltando 18 segundos no relógio. Porém, a revisão mostrou que ele estava down by contact na linha de meia-jarda. Por não ter mais timeout para pedir, Oakland perdeu dez segundos.

Com oito segundos e na linha de meia-jarda, Michael Crabtree conseguiu um touchdown, mas fez falta em Marcus Peters e a jogada foi anulada. Os Raiders andaram 10 jardas para trás, sobrando apenas três segundos para o final da partida. O passe foi incompleto, mas uma falta da defesa com cronômetro zerado permitiu mais uma jogada saindo da linha de duas jardas.

Derek Carr encontrou Crabtree no fundo da end zone e finalmente o TD valeu. O extra point foi cheio de emoção e Tavecchio não errou por pouco. Vitória por 31 a 30 que deixa os Raiders vivos na busca pelos playoffs e impede que os Chiefs varram a divisão pelo segundo ano consecutivo.

Para os Raiders

Derek Carr finalmente voltou a jogar em alto nível. O quarterback deu show no jogo e principalmente no drive da vitória. Foram 417 jardas e 3 TDs. O aproveitamento de 29/52 nos passes não foi uma maravilha, mas muito por conta dos recebedores que tiveram NOVE drops.

amari-cooper-chiefs-x-raiders

Amari Cooper: a máquina de drops (Foto: Marcio Jose Sanchez/AP)

Amari Cooper finalmente apareceu em 2017. O principal recebedor dos Raiders entrou na partida com apenas 146 jardas acumuladas nos seis jogos anteriores. Só no primeiro tempo foram 95 e Cooper terminou o jogo com 211 jardas em 11 recepções e 2 TDs. Mesmo assim, o WR continuou com seus problemas de drop, que custaram algumas campanhas de Oakland. Jared Cook foi outro destaque, com seis recepções, 107 jardas e a jogada que deixou os mandantes na beira da end zone no final da partida.

De ânimo renovado após bater rival e se livrar da sequência de quatro derrotas consecutivas, o Oakland Raiders (3-4) visita o Buffalo Bills (3-2) na Semana 8. A situação para ir aos playoffs ainda é difícil, mas o ataque voltou a aparecer bem. A defesa continua aquela coisa horrorosa de costume.

Para os Chiefs

Alex Smith e Kareem Hunt, que foram meio apagados na derrota para os Steelers, voltaram com tudo. O ataque dos Chiefs foi novamente uma beleza de se assistir. Hunt mais uma vez passou das 100 jardas de scrimmage. Smith abusou das jogadas longas de novo e terminou com 342 jardas, 3 TDs e um acerto de 25/36 nos passes.

alex-smith-kareem-hunt-chiefs

Alex Smith jogou o fino da bola. De novo! (Foto: Ezra Shaw/Getty Images)

Porém, isso não foi o suficiente para vencer – graças à defesa, que não vem jogando bem. O que piorou neste TNF foi que o membro mais sólido da secundária fez uma péssima partida. Marcus Peters foi queimado em algumas jogadas e cometeu duas faltas bobas importantes. Com a vulnerabilidade de Terrance Mitchell do outro lado, a secundária dos Chiefs não ofereceu nenhuma resistência.

Agora com duas derrotas consecutivas após cinco jogos de invencibilidade, o Kansas City Chiefs (5-2) recebe na próxima rodada o Denver Broncos (3-2). Dependendo do resultado dos Broncos na Semana 7, esse duelo pode valer a liderança da AFC Oeste.

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Vinícius Mathias

Vinícius Mathias

Jornalista e ala-armador nas horas vagas. Sofre nas ligas americanas com Timberwolves, Jaguars, Sharks e Angels. Se arrepende por não ter escolhido o Seahawks. Chelsea e Alemanha trazem felicidade no futebol, pelo menos. Fã de Aaron Rodgers, Jimmie Johnson, Kevin Garnett, Kimi Räikkönen e de uma Heineken bem gelada.



Related Articles

NFL – Análise da temporada: Buffalo Bills

Infelizmente, essa é uma cena que o torcedor dos Bills se acostumou a ver (Foto: Patrick Smith/Getty Images) Um time

Power Rankings NFL – Semana 10

Os Jets fazem uma temporada até certo ponto surpreendente (Arte: Guilherme Porto/RISE Esportes) Primeiras escolhas do Draft 2016, Jared Goff

Em nome de todos os amantes do esporte

A carreira de Romo foi atrapalhada por lesões e problemas de recuperação. Mas sua habilidade e identificação com a franquia

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido