A uma vitória da glória

A uma vitória da glória
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Hoje é dia de rezar para todos os santos e vestir o azul celeste (Foto: Reprodução/Aposta10)

Três anos sem títulos nacionais e o Mineirão lotado: os combustíveis do Cruzeiro para bater o Fla na finalíssima de hoje à noite

Não é exagero dizer que o Cruzeiro é um clube acostumado a jogar a Copa do Brasil.

A equipe mineira construiu sua tradição no torneio e usou-a em diversos momentos na edição atual. No árduo confronto com o Grêmio, pela semifinal, e mesmo contra o Palmeiras nas quartas – jogo no qual a equipe vencia por três gols de vantagem e cedeu o empate aos paulistas – o Cruzeiro trouxe à campo o fator tradicionalismo para superar adversários teoricamente mais técnicos.

Ademais, nos dois confrontos citados, não apenas a vitória foi conquistada; o time celeste se encontrou em campo, e chegou confiante para os duelos finais. Após uma boa apresentação no primeiro embate com o Flamengo, adversário na finalíssima. A equipe chega embalada para o duelo que decidirá o campeão.

15 anos desde o último caneco

Já se vão quinze anos desde a última vez em que o Cruzeiro triunfou na competição, superando o mesmo oponente da atual edição e também após empate no jogo de ida. Novamente, uma vitória por um placar mínimo garante o caneco ao clube mineiro. A conquista seria a quinta da história celeste, igualando a equipe aos gremistas como maiores vencedores da competição. Como era de se esperar, o grito do penta está entalado na garganta cruzeirense. O título bateu na trave em 2014, quando o foco estava na campanha do bi do Brasileirão, e o clube acabou sendo derrotado na final.

cruzeiro-campeão-2003

Time de 2003 bateu o Fla na final da Copa do Brasil (Foto: Reprodução/YouTube)

Agora, porém, a situação é diferente. Não há outro pensamento senão a Copa do Brasil. Jogadores, diretoria e torcida sabem da importância do triunfo. Além do troféu, a vaga direta nos grupos da Taça Libertadores do ano que vem, assegurada por uma eventual conquista, é fator chave para o planejamento de toda a temporada seguinte.

Sem dúvidas, o Mineirão estará lotado, pulsando por uma nova conquista celeste. Tal como nos difíceis duelos das fases anteriores, time e torcida devem se unir, trazendo o importante 12º jogador a campo: a tradição azul.

O caminho para o título está traçado. Tendo se acostumado ao seu elenco pouco a pouco durante a temporada, o torcedor sabe da evolução de seus jogadores, individual e coletivamente. Por isso, não espera nada menos que a vitória. O time superou as dúvida e vem para o confronto acreditado, seguro e confiante. A atmosfera não poderia ser mais favorável – o Mineirão lotado foi palco dos grandes triunfos celestes ao longo da história.

O que resta até o momento da finalíssima é a ansiedade pelo grito de campeão. Já são três anos desde o último brado em uma competição nacional. E para um clube da magnitude cruzeirense, é tempo demais sem uma conquista.

 

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Jordino Pereira

Jordino Pereira

Apaixonado por futebol, pretendo aliar a paixão à graduação, rumando para o Jornalismo Esportivo. Mas, nem tudo se resume às quatro linhas; escrevo também para o iniciante blog @revitrips, que passeia, além do meio futebolístico, no mundo musical.



Related Articles

Deveríamos mesmo comemorar?

Foi um empate feio de assistir, mas os jogadores celebraram como uma vitória (Foto: Paulo Fernandes/vasco.com.br) Vasco conseguiu se fechar

Seleção: Tite está acima das críticas?

Você diria não à este homem? (Foto: Lucas Figueiredo/MoWa Press) As escolhas de Tite parecem sempre dar certo, mas algumas

Santos x Barcelona: o fim da invencibilidade

Barcelona bate o Santos na Vila e chega à semi da Libertadores 2017 (Foto: Reprodução/CONMEBOL) A missão do Santos não

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido