Power Rankings NFL – Semana 3

Power Rankings NFL – Semana 3
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Quem segura os Chiefs? Patriots estão de volta. Packers, Cowboys e Seahawks decepcionaram bastante. Existe alguma divisão melhor do que a AFC Oeste no momento? E o Koo, hein? Confira os Power Rankings da Semana 3 da NFL!

É bom lembrar que não são apenas vitórias ou derrotas que influenciam na análise. Algumas das outras considerações: força do adversário enfrentado e força do próximo adversário; a forma de como foi a vitória/derrota; se foi em casa ou fora; lesões; atuações dos principais jogadores; se houve troca de técnico; potencial, etc.


:: Os números entre parênteses mostram a campanha atual do time (vitórias – derrotas).

:: Verde = sobe; vermelho = desce; traço = posição mantida. Sempre em relação à semana anterior.

:: Buccaneers e Dolphins não têm posição anterior, pois não estrearam na primeira rodada.


1. Chiefs (2-0) (-)

Uma vitória dura contra o surpreendente Philadelphia Eagles. Alex Smith, Travis Kelce e Kareem Hunt se destacaram de novo. A ausência de Eric Berry foi sentida na secundária, mas o pass rush dos Chiefs se encarregou de atazanar a vida de Carson Wentz a tarde inteira.

2. Raiders (2-0) +1

O atropelo já era esperado – e qualquer coisa a menos seria decepção, contra o frágil New York Jets. Marshawn Lynch estava tão feliz na sua volta a Oakland, que transformou a sideline em micareta. A sintonia de Derek Carr com Michael Crabtree é impressionante. Podemos ter Raiders x Chiefs umas oito vezes este ano? Agora, tomar dois TDs do Jets é tenso. David Amerson foi engolido por Jermaine Kearse.

3. Falcons (2-0) +4

Dan Quinn está aos poucos transformando a secundária dos Falcons na sua Legion of Boom. Desmond Trufant foi espetacular e os Falcons atropelaram os Packers de novo. O ataque novamente provou ser difícil de marcar e Matt Ryan foi muito bem nas leituras de blitz. As desconfianças da primeira semana ficaram para trás, por enquanto. Na próxima rodada terá um duelo interessante contra os Lions, em Detroit.

4. Patriots (1-1) +1

Tom Brady mostrou que o desempenho ruim contra os Chiefs foi só um tropeço – que quase nunca acontece. No primeiro quarto, New England já provou que continua forte. Ok, foi contra a defesa dos Saints (que não marca nem cone), mas o desempenho foi muito bom. A princípio, Gronk está disponível para a Semana 3, mesmo após sair do jogo com uma lesão.

5. Steelers (2-0) +1

Um grande confronto que se transformou num jogo fácil. Com a lesão de Sam Bradford, Case Keenum foi o titular dos Vikings. E com Case Keenum no comando do adversário, você é obrigado a ganhar com tranquilidade em casa. Jogo bom para Le’Veon Bell recuperar seu ritmo de corridas. Com a visita aos Bears na Semana 3, Pittsburgh caminha para um 3-0 tranquilo e sem grandes desafios até agora.

6. Broncos (2-0) +7

Não vamos nem entrar no mérito defensivo dos Broncos porque isso é chover no molhado, e porque as chamadas ofensivas de Dallas não fizeram o menor sentido. Vamos falar de Trevor Siemian jogando o fino da bola e lançando para quatro TDs. Brock Osweiler deve estar amando essa fase do camisa 13. Um QB jogando muito, jogo terrestre funcionando e a defesa de sempre. Separa três vagas para a AFC Oeste nos playoffs, por favor.

7. Lions (2-0) +4

Esse é o caso perfeito para provar que números não são tudo. Não basta ler, tem que entendê-los. Stafford costuma lançar a bola 40 vezes e conquistar mais de 300 jardas. Os Lions têm vencido jogos apertados e no final. Na segunda-feira foram 21 passes e 122 jardas apenas, menor marca em vitórias. Resultado: triunfo tranquilo. O QB foi um maestro e conduziu perfeitamente o time em campo. Bela partida também de Ansah, Slay e dos RBs (ALELUIA!). Um confronto de peso contra os Falcons é o medidor do quão bom está esse time de Detroit.

8. Packers (1-1) -6

Como previsto, a defesa foi bem contra os Seahawks – por culpa do adversário. O ataque dos Falcons deitou e rolou de novo da defesa de Green Bay, que ainda jogou sem Mike Daniels. A linha ofensiva, que completa já está desfalcada (devido às saídas de Tretter e Lang na intertemporada), ainda foi sem os dois tackles titulares para Atlanta. Com tantos problemas e turnovers de Aaron Rodgers, a história da final da NFC passada se repetiu. A lesão de Jordy Nelson também não ajudou. A volta por cima está breve: Bengals no Lambeau Field.

9. Cowboys (1-1) -5

Quais os pontos fortes de Denver? Pass rush e secundária – ou seja, passe menos a bola. Quais os pontos fracos de Denver? Defesa contra o jogo corrido pelo meio da linha – ou seja, corra com a bola. E quais são justamente os pontos fortes de Dallas? Uma linha ofensiva ótima que abre espaço para um ótimo running back correr, e que, assim, deixa Prescott trabalhar no play action. Tendeu? Então porque Dak passou 50 vezes a bola e Elliott teve apenas NOVE carregadas????? Parabéns, por um dia Ezekiel Elliott conseguiu menos jardas corridas do que Tom Brady (9 a 8).

10. Titans (1-1) +2

A primeira metade do duelo contra os Jaguars foi bem equilibrada e um FG no final deu a liderança para Tennessee por 6 a 3. Na volta, o duelo nas trincheiras continuou pesado e equilibrado, mas um time tem quarterback e o outro não. Mariota resolveu jogar e os Titans anotaram TD atrás de TD até cansar. O time correu com a bola (muito mais com Henry do que com Murray) e as linhas foram bem, batendo de frente com o pass rush e evitando o jogo terrestre dos Jaguars. Aí foi só esperar Bortles ter que lançar a bola.

11. Buccaneers (1-0)

Tampa não tomou conhecimento da lei do ex e jantou Mike Glennon com farofa. Desconsiderando que foi contra o Chicago Bears, a fácil vitória dos Buccaneers corrobora com as expectativas criadas sobre o time de Tampa. E olha que Jameis Winston esteve longe dos seus melhores dias ainda. Se Bradford voltar, o confronto contra os Vikings em Minnesota será um teste melhor do quê os Bucs podem fazer.

12. Seahawks (1-1) -4

A situação dos Seahawks é desesperadora. É agoniante assistir a um jogo de Seattle e ver o ataque não andar. Nem contra os 49ers a coisa funcionou. Pete Carroll ainda vacilou e pediu tempo antes do intervalo, o que ajudou no FG de empate de San Francisco. Quando a coisa ficou preta, Russell Wilson fez um drive estilo Colin Kaepernick. Saiu do pocket toda hora e conquistou first downs correndo. Escapou de 5478121 sacks e conectou um lindo passe para TD que ganhou o jogo. Blair Walsh ainda quis dar emoção e errou o extra point. Com esses cones da linha ofensiva Seattle não vai a lugar nenhum, mesmo com sua defesa maravilhosa.

13. Eagles (1-1) -3

Philadelphia fez um jogo duro e poderia ter saído com uma vitória do Arrowhead Stadium. Mas ganhar dos Chiefs fora de casa não tem sido muito fácil – e Carson Wentz foi muito pressionado, principalmente no último quarto. Uma derrota de cabeça erguida. Os Eagles estão bem melhores do que o esperado. Fletcher Cox, Brandon Graham, Vinny Curry e companhia vão fazer a festa na linha ofensiva dos Giants no próximo jogo.

14. Ravens (2-0) +2

Mais quatro interceptações para a defesa dos Ravens. O jogo contra os Browns foi quase um reprise da partida contra os Bengals. Considerando que o próximo jogo é contra Blake Bortles, teremos mais quatro interceptações a caminho. Aliás, o confronto em Londres será bom. Duas excelentes defesas, dois jogos terrestres poderosos e dois QBs que adoram cometer turnovers.

15. Vikings (1-1) -6

A lesão no joelho de Sam Bradford pode terminar a temporada dos Vikings desde já. Enfrentar os Steelers fora já era difícil. Com Case Keenum no comando, se tornou impossível. A questão é: quando Bradford estará de volta? A Semana 3 contra os Bucs já está aí. O tempo corre contra os Vikings.

16. Panthers (2-0) +3

A defesa tomou apenas três pontos no primeiro e no segundo jogo. Ok, foi contra 49ers e Bills. Mas três pontos de média são três pontos de média, né? Será que o ritmo se mantém contra ataques melhores e será que o sistema defensivo envelhecido aguenta muito tempo? Enquanto o calendário complicado não chega e o ataque não engrena, Carolina vai acumulando essas “vitórias feias”. Melhor do que derrotas bonitas, ué.

17. Dolphins (1-0)

Olha só! Jay Cutler jogou seguro, evitando aqueles turnovers displicentes. Ele realmente é outro sob o comando de Adam Gase. Mas o grande destaque mesmo foi o kicker Cody Parkey que acertou um field goal de 54 jardas para virar o jogo no último quarto. Até porque o kicker do outro time fez o favor de passar vergonha de novo. Vitória importante: Miami se aproxima de um 2-0, já que visita os Jets.

18. Redskins (1-1) +2

Um triunfo importante fora de casa para acalmar o clima estranho em Washington. Kirk Cousins não foi brilhante, mas também não foi aquela displicência contra os Eagles. O QB foi muito bem na campanha de TD que desempatou o jogo para 27 a 20, aliás. Vamos ver como Cousins se comporta nos holofotes do Sunday Night Football contra os Raiders. Afinal, ele tem que fazer dinheiro para o ano que vem.

19. Rams (1-1) -1

Uma derrota doída, mas não decepcionante. Os Rams mostraram ser um time de futebol americano profissional. Diferente da várzea do ano passado. LA buscou o empate e por alguns erros não conseguiu a virada. Apesar da interceptação na campanha final, Jared Goff mostrou que a evolução que aparentou contra os Colts não foi apenas lampejo. O TNF contra os 49ers é a chance do QB mostrar em televisão nacional que tem futuro na NFL.

20. Chargers (0-2) -5

Não vou fazer a piada com o Koo. Um: porque nem isso ele merece. Dois: porque o trocadilho está repetitivo – e com razão, claro. Os Chargers deveriam estar 2-0, mas estão 0-2. Muito kicker já foi dispensado por menos. Esse time tem alguma maldição que não permite ganhar jogos no final, não é possível.

21. Jaguars (1-1) -4

Os caras batalharam nas trincheiras, a defesa interceptou Mariota, o ataque terrestre lutou. Todo mundo deu o máximo para manter o equilíbrio do 6 a 3 no halftime. Aí Blake Bortles resolveu lançar a bola e estragou tudo. Se a defesa não pontuar ou conseguir 10 sacks todo jogo, Jacksonville não vai vencer – já que o QB joga a favor do adversário. Bortles terminou com 223 jardas, 1 TD e 2 int. Mas 125 jardas e o TD surgiram quando o placar estava 30 a 3. No momento do jogo pegado foram 98 jardas, 2 interceptações e 1 fumble. Hora de ligar para Andy Dalton.

22. Giants (0-2) -8

Os Giants são um Seahawks piorado. A linha ofensiva é tão ruim quanto – aliás, Ereck Flowers ou Rees Odhiambo, quem é o pior cone, digo Fred, digo left tackle da liga? Pelo menos Seattle tem um excelente QB móvel que corre pela sua vida para lá e para cá. Eli Manning não é móvel e está velho. Ninguém o protege e não tem jogo terrestre para apoiá-lo. Não tem como dar certo. É impossível. Ou NY arranja uma linha ou arranja um QB corredor… ou vai fazer companhia aos Jets no fundo do poço. Eli já está tendo pesadelos com o excelente pass rush dos Eagles.

23. Texans (1-1) +2

Os Texans venceram o duelo duro de assistir contra os Bengals. A defesa que não achou Jacksonville, destruiu o já frágil Bengals. A recíproca também aconteceu, mas Deshaun Watson achou uma corrida e anotou o único TD do jogo. O ataque ainda preocupa, obviamente. Ainda mais contra New England fora de casa. Dramas de ganhar a AFC Sul.

24. Saints (0-2) -3

Os Saints estão bem piores do que o esperado. Nada funciona, além de Drew Brees. Mesma coisa de sempre: defesa ruim, chamadas questionáveis de Sean Payton, defesa horrorosa, erros infantis, defesa horrível. Ah, já falamos que a defesa é péssima? Hora do ataque dos Panthers se consagrar.

25. Cardinals (1-1) -3

Acompanhar os Cardinals é uma terefa melancólica: o time toma 10 a 0 dos Colts e quase se mata para empatar. Não suficiente, leva o jogo para prorrogação ao errar o field goal da vitória. Graças a uma interceptação de Tyrann Mathieu, os Cards, aí sim, conseguiram vencer com o FG. Não dá mais para Carson Palmer. Sério. Ainda não entendi porque Arizona x Dallas é o Monday Night Football da Semana 3.

26. Bills (1-1) -2

É impressionante como a defesa dos Bills continua a funcionar, mesmo perdendo jogadores importantes a cada ano. Cam Newton tomou pancada o domingo inteiro. Mas o ataque não anda de jeito nenhum. Se nem LeSean McCoy consegue correr, não tem jeito de vencer. Enfrentar o embalado Denver Broncos vai ser de doer.

27. Bears (0-2) -4

A surra que era esperada contra os Falcons veio agora contra os Buccaneers – e também era esperada. Mike Glennon não jogou bem nem com a lei do ex. E não vai ser sem ela, contra os Steelers, que o negócio vai funcionar. Melhor Mitch Trubisky aprender o playbook rápido.

28. 49ers (0-2) (-)

Vimos que não dá para elogiar defesas que jogam contra os Seahawks, porque né, aquela linha ofensiva… mas San Francisco quase saiu com uma vitória nos ombros de Carlos Hyde, que abriu espaços na excelente defesa de Seattle. Se Brian Hoyer não fosse tão medíocre e conseguisse mais de 98 jardas, talvez SF roubasse a vitória do ano.

29. Browns (0-2) -3

A boa impressão do jogo contra os Steelers foi toda embora após a derrota para os Ravens. Nada deu certo e DeShone Kizer ainda saiu com enxaquecas. A zica ainda anda forte em Cleveland, mesmo com a diretoria tentando andar no caminho certo. Mesmo assim, tem gente pior na AFC Norte. Até porque visitar os Colts na próxima rodada é muito melhor do que visitar os Packers.

30. Bengals (0-2) -3

Sério que os Bengals ainda não anotaram um TD? Dois jogos em casa e o time com A.J. Green e Tyler Eifert ainda não marcou um touchdown? Boatos já dizem que alguns jogadores do vestiário querem a contratação de Colin Kaepernick. O coordenador ofensivo, Ken Zampese, já rodou por um motim. Na real, novos ares para o técnico Marvin Lewis e para o QB Andy Dalton seria bom para todo mundo – inclusive para a franquia. Hora de ligar para Jacksonville.

31. Colts (0-2) -1

Os Colts retomaram a posição de “menos pior” do que os Jets. E não foi pela quase vitória, foi pela troca de quarterback. Jacoby Brissett não está nem um pouco pronto para NFL, mas já é bem melhor do que Scott Tolzien. Ok, ele foi interceptado na prorrogação e isso custou a derrota. Mas se fosse Tolzien eles nem estariam no overtime, já teriam tomado 46 pontos e duas pick six… nada da volta de Andrew Luck ainda.

32. Jets (0-2) -3

Jermaine Kearse sempre foi o cara das bolas impossíveis em Seattle. E ele continua sendo o cara das bolas impossíveis em New York porque toda bola lançada por Josh McCown nesse time dos Jets é impossível. Mesmo assim, o wide receiver conseguiu anotar DOIS TOUCHDOWNS contra os Raiders! Wow! Russell Wilson já sente falta. Com a titularidade de Brissett nos Colts, os Jets voltam ao favoritismo da first pick. Embora os Bengals estejam famintos por ela também.

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Vinícius Mathias

Vinícius Mathias

Jornalista e ala-armador nas horas vagas. Sofre nas ligas americanas com Timberwolves, Jaguars, Sharks e Angels. Se arrepende por não ter escolhido o Seahawks. Chelsea e Alemanha trazem felicidade no futebol, pelo menos. Fã de Aaron Rodgers, Jimmie Johnson, Kevin Garnett, Kimi Räikkönen e de uma Heineken bem gelada.



Related Articles

O desastre de Mike Glennon no passeio dos Packers

Mike Glennon jogou fora a chance de se provar e foi um horror em campo (Foto: Matt Ludtke/AP) Em noite ridícula

Power Rankings NFL – Semana 7

A grande vitória dos Giants sobre os Broncos e o jogo de 90 pontos entre Saints e Lions foram ofuscados.

NFL – Análise da Temporada: New England Patriots

O Super Bowl LI certamente foi o título mais comemorado por Brady e pelos Patriots (Foto: Reprodução/Sports Illustrated). Os Patriots

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido