Botafogo x Flamengo #2 – Comparativo

Botafogo x Flamengo #2 – Comparativo
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Na comparação jogador por jogador, quem será que leva a melhor?

Para arrefecer o clima sobre o Botafogo x Flamengo de logo mais, propusemos uma brincadeira; qual é o melhor time dos que entrarão em campo hoje?

Acontece daqui a pouco o primeiros dos duelos entre Botafogo x Flamengo, no Nilton Santos pelas semifinais da Copa do Brasil. E por isso resolvemos fazer uma brincadeira que todo fã de futebol gosta: comparar times. E os responsáveis pela façanha serão, pelo lado alvinegro, Eduardo Ramos e Guilherme Porto, colunistas do Glorioso. E do lado rubro-negro da força, teremos Gabriel Rolim e Roberto Accioly, colunistas do Mais Querido. Lembrando que não há nenhuma certeza do 11 inicial do Flamengo, afinal, Reinaldo Rueda, acabou de chegar para a vaga do falecido Zé Ricardo – e não se sabe nem se ficará realmente no banco.

Não deixe de conferir o Nó Tático, primeiro texto do nosso Especial Botafogo x Flamengo.

Quais serão os critérios?

Principalmente, momento. Futebol é momento. Não adianta dizer que Huguinho é melhor que Zezinho, se Huguinho não entra em campo/está machucado (alô planejamento). Em alguns casos será possível notar que o jogo coletivo potencializou individualidades a ponto de interferir nas escolhas. Em outros, a qualidade técnica dos jogadores prevaleceu. Naturalmente, os critérios possuem pesos diferentes para cada um.

A comparação será feita entre os prováveis titulares das equipes e haverá dois tipos de pontuação para que não haja dúvida quanto ao time vencedor: primeiro, o vencedor de cada embate marca um ponto para o seu time; e a diferença entre o número de votos de cada colunista também será levada em conta em uma segunda avaliação.

Preparem o campinho mentalmente e vamos às comparações:

Goleiro: Gatito Fernández x Alex Muralha | Gatito (4 votos) | Botafogo 1×0 Flamengo

jefferson-e-gatito

A torcida do Botafogo está mal acostumada (Foto: Satiro Sodré/SSPress).

Eduardo Ramos:Em qualquer embate entre goleiros aqui, dá Botafogo – inclusive se incluirmos Diego Alves na história. Mas vamos ao que interessa. Do lado rubro-negro há uma dúvida entre o promissor – mas inexperiente – Thiago e o contestado Alex Muralha. Do outro, havia a famosa dor de cabeça boa para o treinador – até Jair Ventura dizer que não acredita em rodízio de goleiros. O titular deve ser mesmo Gatito, que faz talvez a melhor temporada entre os goleiros do país. Cabe ao ídolo e capitão Jefferson, que voltou pegando muito depois de longo tempo parado, ficar atento às oportunidades.”


Lateral direita: Luís Ricardo x Pará | Luís Ricardo (4 votos) | Botafogo 2×0 Flamengo

luis ricardo treino

Luís Ricardo é a segunda unanimidade da comparação (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo).

Roberto Accioly: Pará é um exemplo de entrega e dedicação. Realmente coloca o coração na ponta da chuteira e melhorou muito seus fundamentos nos últimos anos, sobretudo o cruzamento. Porém, ainda está abaixo de Luís Ricardo, mesmo voltando de uma lesão que o deixou afastado dos gramados por quase um ano. O jogador é uma excelente válvula de escape pela direita e seu retorno evita improvisações no setor, que nem sempre dão certo – como a do zagueiro Emerson Santos. Além disso, o alvinegro é mais importante no momento ofensivo do Botafogo do que Pará para o Flamengo – em parte porque o time deixa essa função para o meio campo rubro-negro.”


Zagueiro: Réver x Carli | Réver (3 votos); Carli (1 voto) | Botafogo 2×1 Flamengo

rever corinthians

O capitão do Flamengo é mais completo que Joel Carli, segundo nossos colunistas (Foto: Reprodução/Flamengo).

Roberto:Assim como o argentino, Réver é absoluto nas jogadas aéreas. Porém, passa mais segurança ao seu torcedor por ter uma saída de bola mais qualificada, além de não perder tantas jogadas na velocidade e fazer menos faltas que o rival.


Zagueiro: Igor Rabello x Juan | Rabello (4 votos) | Botafogo 3×1 Flamengo

igor rabello general

Parece que até os rivais estão prestando continência para o jovem alvinegro (Foto: Reprodução/Igor Rabello).

Gabriel Rolim: “O zagueiro criado em General Severiano conquistou espaço após grande atuação contra o Atlético Nacional pela Libertadores, se firmou como titular e vem fazendo uma dupla sólida com o experiente Joel Carli. Enquanto isso, Vaz voltou a ser massacrado após falha grave contra o Santos pela própria Copa do Brasil. O zagueiro foi muito cobrado pelos companheiros, por Zé Ricardo e até por Rodrigo Caetano, furiosos com sua displicência no lance. Após o incidente, o jogador voltou ao banco de reservas.”


Lateral esquerda: Trauco x Victor Luís | Trauco (1 voto); Victor Luís (1 voto) | Empate

Eduardo:As características do lateral esquerdo de Botafogo e Flamengo são completamente distintas. Trauco começou muito bem no Flamengo, mostrou ser peça eficiente no ataque e chegou a fazer ótima dobradinha com Guerrero. Com o tempo, mostrou sua fragilidade defensiva – e a fase instável do time não o ajudou a manter o nível. Já Victor Luís é extremamente consistente defensivamente, mas – em virtude do esquema – apoia pouco. Dessa forma, não acho que haja um critério de comparação justo para elegermos um melhor. Empate.


Rodrigo Lindoso x William Arão | Lindoso (2 votos); Arão (1 voto); | Botafogo 4×1 Flamengo

rodrigo lindoso

“O meu primeiro volante é o Rodrigo Lindoso, que era camisa 10 no Madureira” (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven/LANCE!Press).

Eduardo: “Originalmente, a comparação seria com Márcio Araújo (para a revolta de Roberto Aciolly). No entanto, com as aparições de William Arão no time titular e a chegada de Rueda, achamos que uma dupla Arão-Cuellar seria mais adequada às características dos times comandados pelo ex-treinador do Atlético Nacional-COL. Particularmente, não acredito que a função que Lindoso faça no Botafogo maior que a de Arão no Flamengo – e sim melhor executada. Não por culpa de Arão. Este jogadores ocupam o miolo do campo e são provavelmente os que mais tocam na bola durante o jogo.  As peças que cercam Lindoso são mais eficientes do que as que rodeiam Arão – seja na qualidade de passe ou na recomposição. E isso dá estabilidade ao futebol do camisa 5, algo que não acontece com o rival.”


Volante: Cuéllar x Matheus Fernandes | Cuéllar (2 votos); M. Fernandes (1 voto) | Botafogo 4×2 Flamengo

cuellar campeao

A experiência e a chegada ao ataque pesaram à favor de Cuéllar (Foto: Gilvan de Souza).

Guilherme: “Matheus é mais jogador. Mas no conjunto, Cuéllar leva vantagem pela experiência que ainda falta ao garoto. Na maração, função que um bom volante deve exercer, MF é rei nos desarmes. Contudo, o colombiano não fica muito atrás – é importante lembrar que o flamenguista atua em um meio-campo menos marcador. E em eventuais chegadas à área adversária (o famoso box-to-box), o camisa 26 da Gávea tem maior eficiência do que o moleque de General. Nisso, o desempate pende para o lado de lá.


Ponta direita: Bruno Silva x Berrío | Bruno Silva (3 votos); Berrío (1 voto) | Botafogo 5×2 Flamengo

bruno silva libertadores

Bruno Silva é volante sem a bola e ponta direita no momento ofensivo (Jorge Rodrigues/Eleven).

Gabriel:O volante alvinegro vem sendo um dos destaques do time desde o ano passado. Neste ano, ele vem mantendo o bom nível de atuações, demonstrando qualidade não só no desarme, como na recomposição – e aparece sempre no ataque pelo lado direito. Apesar do rival rubro-negro vir em boa fase, Bruno Silva está mais consolidado. Berrío parece mais adaptado ao time e vem fazendo grandes atuações. No Brasileirão, tem sido reserva de Éverton Ribeiro, mas como o meia não pode jogar a Copa do Brasil, o colombiano é titular com méritos. Entretanto, ainda precisa de uma sequência maior para se firmar e adquirir o nível de importância que seu rival alvinegro possui para a equipe.


Meia: Diego x João Paulo | Diego (2 votos); João Paulo (2 votos) | Empate

Eduardo: “Diego vive uma situação parecida com a de Arão. Tem rendido menos do que se espera – e não por sua culpa. E nem apenas de Zé Ricardo, que já foi degolado. Tenho uma novidade para vocês: há jogadores que não estão comprometidos com suas funções. A tônica do Flamengo que nos acostumamos a ver tem: laterais lentos ou inexistentes na recomposição, que expõem a zaga; volantes que precisam se despencar para cobrir os espaços; com isso, naturalmente Diego volta para ajudar na marcação por dentro e pela direita, porque Éverton Ribeiro não marca nem encontro; e aí Guerrero volta para buscar jogo e não chega inteiro para concluir a jogada. Do outro lado, João Paulo tem uma trinca de volantes para proteger suas ações. O fato é que Diego não tem liberdade/segurança para fazer sua função. Mudar o esquema pode ser a solução para que o meia volte a render, porque mais bola que o rival ele tem.”


Ponta-esquerda: Éverton 4×0 Rodrigo Pimpão | Éverton (4 votos) | Botafogo 5×3 Flamengo

everton flamengo comemorando

Parece que Éverton conta com a admiração de ambas as torcidas (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo/Divulgação)

Guilherme: “Pimpão é o cara mais decisivo da Libertadores. Taticamente, fundamental. Mas, há algum tempo não vem produzindo muito tecnicamente. Éverton por sua vez é extremamente consistente, apesar de pecar em eventuais coberturas ao lateral. Ainda assim, na frente, o cara é mais assistente e goleador do que o alvinegro – o que gerou essa goleada para o Flamengo nessa posição do campo.


Centroavante: Roger x Felipe Vizeu | Roger (4 votos) | Botafogo 6×3 Flamengo

roger-botafogo

Sem o peruano, o centroavante do Botafogo pediu passagem nessa enquete (Foto: Divulgação/Botafogo).

Gabriel: “A jovem promessa rubro-negra tem potencial, mas não vem correspondendo às expectativas. A chegada de Leandro Damião no ano passado tirou espaço do garoto, que até então era o substituto imediato de Guerrero. A falta de uma sequência de jogos parece ter prejudicado Vizeu, que não vem fazendo boas partidas. Enquanto isso, Roger, que não era muito querido pela torcida, vem surpreendendo a todos e faz uma ótima temporada. Apesar de não marcar tantos gols, o centroavante é peça fundamental no esquema de Jair Ventura. O jogador faz um ótimo pivô, demonstra técnica e inteligência e hoje é uma das referências do time.”


E os técnicos?

jair ventura

Jair não teria culpa em um W.O. Mas preferimos aguardar (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo).

Em condições normais, Jair Ventura venceria Zé Ricardo e Jayme de Almeida (este mais pela falta de tempo hábil) por goleada. Fizemos essa simulação, inclusive. Unanimidade. Mas não esperávamos pelo fator Reinaldo Rueda. Estamos discutindo sobre a provável escalação do Flamengo para o jogo, mas jamais vimos o Fla do colombiano em campo. De qualquer forma, deixamos o comentário do nosso colunista Guilherme Porto sobre o trabalho do técnico Jair Ventura em comparação com os anteriores.

Guilherme: Aqui há uma das maiores discrepâncias. Zé Ricardo vinha visivelmente tendo dificuldades para lidar com o ego de suas estrelas. O Urubu andava bagunçado no campo. E Jayme foi apenas um tapa-buraco. Ventura, do outro lado, faz bonito. Dá nó tático (alô Muricy!) em vários adversários, em tese, mais cascudos que o Botafogo. Com um esquema que joga junto com o time, o Fogão vem se criando justamente na entrega. Além de técnico, o cara é gestor. E isso faz a diferença na hora do sucesso.


Qual é o melhor time no Botafogo x Flamengo?

O Botafogo venceu nos embates por 6×3. E nos votos, a goleada foi ainda maior: 26 a 14.

A seleção do confronto ficou assim: Jefferson; Luís Ricardo, Réver, Rabello e Trauco/Victor Luís; Rodrigo Lindoso, Cuéllar, Bruno Silva, Éverton e Diego/João Paulo; Roger. E aí, dava pra brigar lá em cima com o Corinthians?

Enfim, a brincadeira não diz muito sobre o que vai ser o confronto. Amamos o futebol porque ele nos proporciona momentos inimagináveis. Qualquer resultado hoje não poderá ser considerado surpresa, afinal, clássico é clássico.





FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
RISE Esportes

RISE Esportes

Somos comunicadores. Jornalistas e publicitários. Mas antes de tudo, estudiosos - e apaixonados. Vivemos isso 24/7. Acreditamos no esporte como um fenômeno que transcende o lazer. Para nós, é mais que um jogo. É altruísmo, confiança, superação. É talento. Estilo de vida e ferramenta de transformação. E continua paixão. A RISE Esportes é uma iniciativa feita à várias mãos. Enxergamos a necessidade de uma reeducação na maneira como enxergamos o jogo. É isso que une pessoas tão diferentes. Nossa proposta é desenvolver um espaço de conversa e reflexão através de uma produção de conteúdo que adicione valor ao debate esportivo.



Related Articles

Sul-Americana: atenção no mata-mata, hein!

O empate em casa sofrendo gol não foi nada bom para o Timão (Foto: Miguel Schincariol) Finalistas do Paulistão, Corinthians

Em Minas, não é só a taça que está em jogo

Após 2 anos, Cruzeiro e Atlético-MG voltam a se enfrentar pelo título estadual (Foto: Washington Alves/Cruzeiro) O título estadual coroará

Com ou sem Luan, o Grêmio é copeiro

Luan estaria perto da Europa. Foi mesmo uma despedida? (Foto: Lucas Uebel/Grêmio, DVG). Vai ou não vai? Em meio às especulações

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido