Bem-vinda, Premier League #2: O grupo do talvez

by Guilherme Porto | 10 de agosto de 2017 15:19

Lacazette, a paixão dos jogadores de FIFA, chega com tudo para ser mais um dos astros do Arsenal (Foto: Reprodução/Arsenal)

A RISE Esportes começa o aquecimento com um resumão sobre a liga mais competitiva do Velho Continente: uma análise em 3 textos sobre os 20 times da Premier League 2017/2018.

No primeiro texto da série, começamos analisando o fundo do poço, [1]todos aqueles times que terão que brigar para não cair na PL. No segundo, é a vez do bloco dos 5 times que devem brigar por vagas em competições europeias, mas sem grandes forças para chegar ao título.

Crystal Palace

Talvez esse seja um dos intrusos na lista daqueles que brigarão por competições europeias. Enjoado em alguns jogos específicos – principalmente contra os postulantes ao título, visto que venceu o Chelsea fora de casa, que foi quase 100% em Stamford Bridge – o time pode criar problemas esse ano.

O esquema de 4-3-3 joga em função de Benteke, a referência do time. Aberto nas pontas, Zaha e Van Aanholt chegam para auxiliar na entrada da área. Além disso, com uma recomposição muitas vezes eficiente, o time é chato dentro dos seus domínios.

Benteke comemorando gol Crystal Palace

Benteke, a referência do Palace (Foto: Reprodução/Sky Sports)

Como reforço, chega Riedewald (ex-Ajax), para reforçar a zaga, podendo jogar de lateral ou zagueiro. Além dele, Loftus-Cheek (emprestado pelo Chelsea) deve adicionar bastante qualidade na linha de 3 homens de meio, podendo ser volante ou chegar na área.

A projeção é interessante. Mas o time também pode ser um daqueles que vai brigar lá embaixo, junto com os outros do primeiro texto, caso não abra o olho. A aposta no Palace é arriscada, mas entre os 10 primeiros eles (provavelmente) ficarão.

Leicester City

Queridinho por todos nós depois do improvável título na temporada 15/16, os Foxes não foram produtivos na última temporada. Mas, sem nenhuma perda de valor, as raposas podem chegar voando nessa temporada para voltar a disputar, ao menos, uma Europa League.

Vardy, Mahrez, Albrighton e cia ainda montam um interessante esquema de 4-2-3-1. Com o camisa 9 avançado, o técnico ainda pode usar o argelino Slimani como referência e recuar a fera inglesa.

Vardy e Mahrez comemorando gol Leicester

Vardy e Mahrez (Foto: Reprodução/101 Great Goals)

Como opção, ainda chega o ótimo atacante nigeriano Kelechi Iheanacho, vindo do Manchester City. Não aproveitado por Guardiola, Ihea é o cara ideal para esse esquema do Leicester.

Além dele, Maguire (zagueiro, ex-Hull City) também deve ser mais uma opção importante para a zaga, que às vezes é mais lenta que o aceitável. A expectativa em cima dos Foxes sempre vai existir. Resta saber se, o ano de 15/16 foi só um sonho ou se realmente podemos continuar apostando neles dentro da Premier League.

West Ham

O West Ham talvez tenha sido o clube mais ousado no mercado de verão europeu. O time, depois da saída de Payet se viu desamparado e investiu pesado para o novo ano.

Dentre as excelentes contratações, destacam-se:

Chicarito chegou para ser o homem-gol do West Ham (Foto: Reprodução/Standard UK)

O esquema de 3-4-2-1 vai ser reforçado. Além disso as variações serão ainda mais constantes com as posições que foram cobertas com as novas chegadas.

O ano do United só não será bom se o time não quiser. Tem claras condições de brigar, inclusive, no topo da tabela. Se botar em campo o potencial dos atletas contratados o time vai voar. Assim como as belas bolhas pelo ar!

Everton

Mais um time que investiu no mercado. Mesmo tendo perdido sua referência lá na frente – já que Lukaku saiu para o Manchester United – o clube fez um bom investimento do dinheiro e deve chegar bem para a próxima temporada.

Para o meio chegam Klaasen (ex-Ajax) e Pickford (Sunderland). Excelentes opções para o a linha de 3 do esquema de 4-3-3 e que, provavelmente, serão titulares. Para a frente, Sandro Ramirez veio do Málaga também para conferir velocidade à última linha, no ataque.

O Shrek voltou a vestir azul (Foto: Reprodução/Goal.com)

E a principal contratação é, na verdade, um retorno: Wayne Rooney, revelado no Goodison Park, voltou às raízes. Para jogar como gosta – ou seja, como referência no ataque – o Shrek não pensou duas vezes em largar o United.

Everton e boas campanhas: um casal perfeito. Se o casamento vai durar, ninguém sabe. Mas a projeção é excelente e o time pode brigar inclusive, por vaga na próxima Champions.

Arsenal

POLÊMICA!

Talvez a principal surpresa na lista de meio de tabela, os Gunners provavelmente cairão na reta final como costumam fazer. Mesmo com contratações importantíssimas, o time de Wenger capenga na hora H justamente por (ainda) estar nas mãos dos franceses.

O esquema pode variar. Dependendo das peças disponível, Wenger monta um 3-4-3 ou um 4-2-3-1. Com a chegada de Lacazette, o time consegue explorar o esquema de 3 atacantes, com ele e Sanchez abertos, podendo usar Giroud ou Welbeck centralizados.

Lacazette gritando no Arsenal

Lacazette (Foto: Reprodução/9Jagooners)

Para a lateral esquerda, Kolasinac veio do Schalke 04 para ser titular. Não se sabe ainda se sobrará para Monreal ou Gibbs. Mas no campo, o bósnio é mais jogador e deve ser o “camisa 6” do elenco londrino.

Como isso é apenas uma prévia, cravar que o Arsenal ficará fora do top 5 não é o mais certo. Contudo, com os últimos retrospectos e a incompreensível insistência em manter Wenger no comando, os Gunners correm sérios riscos de ficarem fora da próxima Champions.

A temporada da Premier League começa na próxima sexta-feira (11) e você acompanha os detalhes da maior competição do Velho Continente aqui na RISE Esportes.

Endnotes:
  1. o fundo do poço, : http://risesportes.com.br/2017/08/09/bem-vinda-premier-league-1-o-fundo-do-poco-pode-ter-porao/

Source URL: http://risesportes.com.br/2017/08/10/bem-vinda-premier-league-p2/