Vai e vem da NBA: A Divisão do Pacífico

Vai e vem da NBA: A Divisão do Pacífico
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Alguém pode fazer frente ao Warriors na Divisão do Pacífico?

Como aquecimento para o início da temporada, a RISE Esportes dará início à uma série de análises sobre as movimentações de mercado dos times

Estamos apenas no início do período da Free Agency e várias mudanças ainda poderão ocorrer, mas com a pré-temporada da NBA iniciando em menos de dois meses, resolvemos analisar os elencos atuais de cada franquia, suas movimentações de mercado e projetar o desempenho dos times na temporada 2017-2018.

Para começar, vamos falar da Conferência Oeste – mais precisamente as cinco equipes da Divisão do Pacífico.

Golden State Warriors

A principal movimentação dos atuais campeões foi a concentração de esforços na renovação de contrato de suas principais estrelas, Stephen Curry e Kevin Durant. O principal reforço é a manutenção da base do elenco vitorioso.

O time de Oakland adquiriu através do Chicago Bulls os direitos da 38º escolha do Draft, o ala-pivô Jordan Bell. Atlético e com um físico invejável, Bell tem a defesa como um dos seus pontos fortes. Contudo, pelo lado ofensivo, se mostra limitado. Uma tutoria de Draymond Green poderia ajudar a moldar o atleta, que se encaixa bem no small ball do Warriors.

Além do novato, completam as novidades de Golden State os agentes livres Omri Casspi e Nick Young. Veteranos, ambos possuem mais de 7 temporadas no melhor basquete do mundo. Com médias de 8 e 12 pontos por jogo em suas carreiras, respectivamente, os dois prometem aumentar a profundidade do elenco e trazer mais ameaça nas bolas de longa distância.

A única saída ficou por conta de Ian Clark que assinou contrato de um ano com o New Orleans Pelicans.

Sem muitas mudanças, a espinha dorsal permanece a mesma, com Andre Iguodala e Shaun Livingston liderando o grupo que sai do banco.

Provável Time titular:

PG: Steph Curry; SG: Klay Thompson; SF: Kevin Durant; PF: Draymond Green; C: Zaza Pachulia

durant-curry-golden-state

A parceria Curry-Durant continua (Foto: Ezra Shaw/Getty Images).

Los Angeles Clippers

A equipe de Los Angeles viu-se em uma situação complicada com a saída de jogadores importantes do elenco. Porém, através de trocas e da renovação com Blake Griffin, a equipe ainda se mantém como uma das principais a brigar pelas vagas nos playoffs.

A principal mudança na base titular fica por conta da saída de Chris Paul para o Houston Rockets. Na troca, o Clippers adquiriu um pacote composto por Lou Williams, Patrick Beverley, Sam Dekker, Montrezl Harrel e DeAndre Liggins.

Para repor a armação, a equipe contratou Milos Teodosic. Considerado um dos melhores jogadores do basquete europeu e mundial, o Sérvio finalmente fará sua estréia na NBA em um contrato de 2 anos.

Outra contratação foi a do ala Danilo Gallinari em uma troca tripla com o Denver Nuggets e o Atlanta Hawks. Pelo italiano a franquia de L.A. cedeu Jamal Crawford e Diamond Stone ao Hawks.

Vindos do Draft, Jawun Evans (39º) e Sindarius Thornwell (48º) são bons prospectos. Se bem desenvolvidos, podem tornar-se peças úteis. Para fechar as novidades o ala-pivô Willie Reed (Heat) chega para compor o elenco.

Além dos já citados, os Clippers perderam: seu especialista em bolas de três pontos, J.J Redick (Sixers), o armador Raymond Felton (OKC), Luc Mbah a Moute (Rockets), além do o futuro Hall of Fame e recém-aposentado, Paul Pierce.

A saída de Chris Paul é uma perda gigantesca, mas a equipe conseguiu reunir peças muito boas se analisarmos a situação em que se encontrava. A princípio, a previsão era de que houvesse uma debandada completa dos astros, restando apenas o pivô DeAndre Jordan como principal jogador.

Um ponto preocupante é Teodosic. Mesmo com toda a fama e habilidade, ele ainda é uma aposta. Veremos se o sérvio irá conseguir se adaptar ao estilo americano de jogo. Além dele, o coach Doc Rivers tem como opções para a posição seu filho, Austin Rivers, o especialista defensivo Patrick Beverley e o novato Juwan Evans.

Outra preocupação é a saúde do elenco, principalmente de Blake e Gallo. Ambos possuem problemas recorrentes de lesões e se não houver bastante cuidado, isso poderá prejudicar o rendimento da equipe ao longo da temporada.

Provável Time titular:

PG: Milos Teodosic; SG: Lou Williams/Patrick Beverley; SF: Danilo Gallinari; PF: Blake Griffin; C: DeAndre Jordan

blake-griffin-clippers

Blake Griffin renovou e será o franchise player dos Clippers (Foto: Doug Pensinger/Getty Images).

Sacramento Kings

Com a ida de DeMarcus Cousins para o New Orleans Pelicans na última temporada, a franquia passará por mais uma reformulação no elenco.

A barca de saída é grande: Darren Collison (Pacers), Langston Galloway (Pistons), Ben McLemore (Grizzlies), Rudy Gay (Spurs), Tyreke Evans (Grizzlies), Ty Lawson (Shanxi Dragons-CHI), Arron Afflalo (Magic) e Anthony Tolliver (Pistons).

Por outro lado, sangue novo alimenta as esperanças de sucesso da franquia californiana no futuro. Os Kings adquiriram no Draft o promissor De’Aaron Fox (5º), Justin Jackson (15º), Harry Giles (20º) e Frank Mason III (34º). Além desses, assinou com o sérvio Bogdan Bogdanovic, 27ª escolha do Suns em 2014, mas que só agora irá estrear na NBA.

A chegada dos veteranos George Hill (Jazz), Zach Randolph e Vince Carter  os dois últimos vindos do Grizzlies serve para preencher o elenco de experiência. Hill vem de uma de suas melhores temporadas na carreira; Z-Bo havia assumido uma função de 6º homem em Memphis e pode contribuir da mesma forma em Sacramento; e Vinsanity dispensa comentários – pois aos 40 anos ainda joga mais do que muitos garotos por aí.

Em um mix de atletas experientes com jovens talentosos, a franquia não deverá ter uma campanha com muitas vitórias. Mas isso faz parte do processo de reconstrução. O principal agora é nutrir estes jovens com a experiência de Hill, Carter e Z-Bo – e desenvolvê-los para as próximas temporadas.

Provável Time titular:

PG: George Hill; SG: Buddy Hield; SF: Bogdan Bogdanovic/Garrett Temple; PF: Skal Labissière; C: Willie Cauley-Stein

deaaron-fox-kentucky

De’Aaron Fox, a principal aposta na reconstrução de Sacramento (Foto: Andy Lyons-Getty Images).

Los Angeles Lakers

Afastada dos playoffs desde a temporada 2012-2013, a franquia mais famosa de Los Angeles ainda tenta se reerguer após a aposentadoria do astro Kobe Bryant. Atuando como principal diretor de operações desde o início do ano, Magic Johnson — lenda do basquete e um dos maiores ídolos dos Lakers — já começou a agir.

No Draft, a equipe adquiriu na segunda escolha o badalado Lonzo Ball. Além dele, Kyle Kuzma (27º), Josh Hart (30º) e Thomas Bryant (42º) também foram selecionados.

As expectativas em cima de Lonzo são muito altas, principalmente após o título de L.A. na Summer League (Liga de Verão), quando o armador recebeu o prêmio de MVP. Kuzma também teve bom rendimento e levou pra casa o troféu de MVP das finais.

No mercado, Johnson conseguiu despachar Timofey Mozgov e seu contrato gordo (eram 15 milhões de dólares/ano). No negócio, o Brooklyn Nets recebeu o russo e o prodígio D’Angelo Russel em troca do pivô Brook Lopez e da 27ª escolha (Kuzma). A saída do jovem armador é polêmica, mas era necessária. Russel não evoluiu o esperado e a chegada de Lonzo o ofuscaria ainda mais.

Além de Lopez, os Lakers anunciaram a chegada do pivô Stephen Zimmerman, do armador Briante Weber e do ala-armador Vander Blue. Ambos tiveram poucas oportunidades em suas passagens pela NBA.

Vale comentar que Weber é um especialista defensivo tendo encerrado sua carreira universitária como o 3º maior ladrão de bolas da história da NCAA. Enquanto que Blue parece ter impressionado o staff após uma grande temporada atuando pela equipe afiliada South Bay Lakers (antiga Los Angeles D-Fenders) na NBA D-League (Liga de Desenvolvimento). Com médias de 24.8 pontos, 5 rebotes e 3 assistências por jogo, Blue participou no All-Star Game e foi premiado com o título de MVP da liga secundária da NBA.

Outro nome de chegada é o de Kentavious Caldwell-Pope. Com médias de 12 pontos por jogo na carreira, KCP é um ótimo reforço e deverá assumir a titularidade sem muito desafio. De saída também está o ala-armador Nick Young, que assinou com o Golden State Warriors e reforçará os atuais campeões.

Os Lakers deverão contar com uma base formada por Ball, Ingram e Randle. Os três jovens alimentam as expectativas de um futuro próspero. Além deles, Jordan Clarkson poderá surpreender como sexto homem. Mesmo assim, o presente ainda não é tão promissor. A franquia ainda precisa se livrar de Luol Deng e necessita peças melhores para aprofundar o elenco.

Provável Time titular:

PG: Lonzo Ball; SG: Kentavious Caldwell-Pope; SF: Brandom Ingram; PF: Julius Randle C: Brook Lopez

lonzo-ball-lakers

Lonzo Ball, a nova cara dos Lakers (Foto: Gary A. Vazquez/USA TODAY Sports).

Phoenix Suns

A equipe do Arizona passou mais tempo sendo alvo de especulações  a maior parte delas relacionada a Kyrie Irving  do que propriamente oficializando contratações. Isso porque a franquia não concluiu nenhuma troca e apenas renovou com seu agente livre, o pivô Alan Williams. Ainda em busca de reforços, os Suns abriram espaço no orçamento com a dispensa do brasileiro Leandrinho.

Por enquanto, as novidades ficam por conta dos jovens selecionados no Draft: Josh Jackson (4º), Davon Reed (32º) e Alec Peters (54º).

Jackson possui um grande potencial, é atlético e excelente defensor. O ala pode contribuir com pontos, rebotes e assistências se tornando um jogador all-around ideal; Reed também possui características defensivas, tem qualidade nas bolas de 3 e pode ser útil para compor o elenco; já o ala-pivô Alec Peters é um excelente chutador – porém lento, além de apresentar dificuldades contra defensores maiores e mais fortes.

Recheado de peças jovens, o elenco dos Suns não luta por muita coisa. Portanto, o desenvolvimento de atletas como Josh Jackson, Marquese Chris, Alex Len, Dragan Bender, Tyler Ulis, Alec Peters, Davon Reed e, principalmente, Devin Booker  deve ser a prioridade.

Booker, que na última temporada chocou a NBA ao anotar 70 pontos em um jogotem potencial para ser a principal estrela da franquia por longos anos.

Provável Time titular:

PG: Eric Bledsoe; SG: Devin Booker; SF: Josh Jackson; PF: Marquese Chriss; C: Alex Len/Tyson Chandler

jackson-peters-reed-suns

As apostas do Suns: Josh Jackson, Alec Peters e Davon Reed (Foto: Mark J. Rebilas/USA TODAY Sports).

E se você ainda não clicou em nenhum link, não deixe de conferir as análises sobre as divisões Central Sudoeste.

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Felipe Coelho

Felipe Coelho

Apaixonado por esportes e por redação desde pequeno, demorou a perceber que poderia unir essas duas paixões como forma de viver e se expressar. Se jogou de cabeça relativamente tarde no basquete, mas a partir daí não parou mais. Até se esforça na hora da pelada, mas a habilidade só existe nos videogames mesmo. Nerd de carteirinha, coleciona milhares de horas na Steam. Football Manager player since 2005.



Related Articles

Sem LeBron, Irving e Love, Cavaliers perdem por 108 a 78 para o Clippers

Foto em destaque: time misto dos Cavs teve péssima atuação diante do Clippers de Blake Griffin. Créditos: Andrew D. Bernstein/NBAE

Celtics dominam Bulls e se classificam para a semifinal do Leste

Para a alegria dos torcedores de Boston, Isaiah Thomas voltou a sorrir (Foto:David Banks-USA TODAY Sports / Action Images) Mesmo

Durant faz 33, Warriors vencem fora de casa e abrem 3 a 0 na série

Ala fez 19 dos seus 33 pontos somente no terceiro quarto (Foto:Mark Sobhani/NBAE via Getty Images) Ainda sem Kawhi Leonard,

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido