NFL – Análise da Temporada: Dallas Cowboys

NFL – Análise da Temporada: Dallas Cowboys

Se o prêmio de MVP pudesse ser dado a um setor inteiro, ele certamente iria para essa linha ofensiva dos Cowboys (Foto: Reprodução/Dallas Morning News)

Dois calouros e uma franquia de volta ao protagonismo; veja a análise da temporada do Dallas Cowboys.

Campanha em 2016: 13-3, campeão da NFC Leste

Absurda. Quase perfeita. Surpreendente. Esses são os adjetivos para a última temporada do Dallas Cowboys.

Com um começo incerto, jogado nas mãos de calouros – que costumam ser incógnitas – os caubóis resolveu ser protagonista. Com uma temporada quase impecável, a queda nos playoffs veio justamente pela inexperiência dos garotos.

De resto, tudo foi festa.

Lados positivos
1) Dak e Zeke, a nova dupla sertaneja da NFL

No fogo. Não se sabe se devido ao calor texano ou pela necessidade de suprir a ausência do espírito de vitórias da franquia. Dak Prescott e Ezekiel Elliott – quarterback e running back, respectivamente – superaram todas as expectativas.

Os especialistas? Ficaram em êxtase com o desempenho dos garotos junto à linha ofensiva, extremamente consistente, eficiente e à prova de contusões.

Os torcedores? Encantados. O mais pessimista certamente esqueceu porque ainda reclamava da inconstância de Romo, devido ao problema das lesões.

Elliott (ou Zeke, para os mais íntimos) destruiu nos stats e liderou o ranking da posição com números monstruosos até para um veterano calejado na liga. Líder das corridas, Zeke carregou a bola por absurdas 1631 jardas totais na temporada regular. No total, foram 318 a mais que o segundo colocado, Jordan Howard, de Chicago.

A média? 108,1 jardas por jogo! Um monstrinho, que ainda pulava os adversários como um corredor de 200m com barreiras. Com sprints absurdos no strong side, vieram 15 TDs e 5.1 jardas por tentativa.

Ezekiel Elliott e Dak Prescott

Dak, Zeke e as palmas no fundo: algo comum na temporada de estreia dos meninos de Dallas (Foto: Reprodução/Inside The Star)

2) MVP: linha ofensiva dos Cowboys

Para alimentar a besta, a OL de Dallas foi perfeita. O calouro tinha espaços fantásticos para correr e Dak, protegido, teve seu trabalho muito facilitado ao longo dos jogos. De ponta à ponta, os 5 jogadores da linha ofensiva foram impecáveis.

Como destaques, Zack Martin (RG) e Tyron Smith (LT), deixavam Dak tranquilo para pensar dentro do pocket.

O camisa 4, por sua vez, foi também excelente. Seguro dentro das suas jogadas, Dak teve boas opções e mão precisa. As jogadas necessárias para vencer jogos-chave dentro da regular season e garantir a folga na primeira rodada vinham até com certa facilidade. Mesmo não sendo top 10 no ranking de QBs, Prescott lançou 23 TDs e 3667 jardas.

Dentre as boas opções, vemos duas muito interessantes: o sempre eficiente Dez Bryant, anotou 8 TDs apesar de ter apenas 50 recepções; e Cole Beasley, principal recebedor da equipe em jardas, anotou 5 TDs em 833 jardas e 75 recepções.

Sean Lee Cowboys

Sean Lee, o rei da defesa em Dallas (Foto: Reprodução/Inside The Star)

A defesa, também não ficou para trás em Dallas. Pelo menos contra o jogo corrido. Não bastou ter Zeke Elliott no ataque. Na defesa, o título de melhor da regular season também veio.

Na média, a defesa cedeu 83,5 jardas por jogo e apenas 9 TDs no total. No geral, foram 1336 jardas somadas nos 16 jogos. E como destaque, vale ressaltar Sean Lee. O OLB, líder da defesa, coordenou o embate contra o jogo corrido adversário com 145 tackles, sendo 93 derrubando os adversários e 52 em assistência aos outros.

Lado negativo: pelo alto todo mundo é cego

Infelizmente, nem tudo foram flores para os Cowboys em 2016.

No alto, a defesa ficou apenas na 26ª posição geral no ranking contra os ataques adversários. Foram cedidas, em média, 260,4 jardas por jogo, além de 25 TDs em 16 jogos. Na única partida de playoff, contra o Green Bay Packers, a defesa deu mole e cedeu muito espaço, tanto para os recebedores, quanto para o camisa 12 dos cabeças de queijo.

Dentro de casa, em certo momento do jogo, os caubóis se viram acuados e obrigados a correr atrás do placar. E nesse mesmo jogo, a falta de experiência também pesou para os garotos.

Mesmo jogando muito bem, Zeke e Dak não conseguiram parar o ímpeto de Rodgers e seus comandados. Com pouco mais de 30 segundos no relógio para segurar o avanço do adversário e o empate garantido, a defesa não teve calma. As 51 jardas necessárias para o chute derradeiro de Mason Crosby foram cedidas.

E o final trágico todos conhecem: em Arlington, 34 a 31 para os Packers.

Sentindo o peso de uma pós-temporada, os garotos tiveram que adiar o sonho do Super Bowl e um eventual jogaço contra os Patriots de Brady. Uma pena a derrota. Pela temporada que fizeram, os Cowboys mereciam ir mais longe nesse ano, para coroar os calouros de ouro.

Balanço da temporada e o que esperar: o futuro será brilhante!

A projeção é excelente. Numa primeira temporada, os calouros e uma linha ofensiva perfeita fizeram a total diferença na campanha quase irretocável. Um 13-3, com jogos extremamente consistentes fora de casa, enchem os olhos dos torcedores que esperam a volta dos Cowboys vitoriosos da época de Troy Aikman e Emmith Smith.

Além disso, com boas escolhas no draft, os reforços chegam em massa. A primeira escolha, Taco Charlton, é um excelente DE vindo de Michigan. Alto, forte e rápido, Charlton vai chegar com a expectativa dos torcedores por mais um calouro endiabrado.

Ryan Switzer, também vindo da universidade, tende a ser uma outra opção interessante para os passes de Prescott, apesar de estar contudido e ficar de fora do HOF Game.

A apreensão fica por conta da decisão sobre o caso de Zeke Elliott, que pode se complicar pelo caso de violência doméstica. E sabemos bem que a liga não perdoa esse tipo de coisa.

Hall of Fame Game: A NFL ESTÁ DE VOLTA!

SIM! A NFL está de volta!

Mas calma que ainda não está na hora de ver os melhores jogadores do planeta jogando à vera.

Fawcett Stadium, em Ohio (Foto: Reprodução/Twitter)

A primeira partida da pré-temporada é hoje (03/08), às 21h (horário de Brasília) entre Dallas Cowboys e Arizona Cardinals. Conhecido como Pro Football Hall of Fame Game, o jogo marca o início da pre-season e os festejos da semana de premiação do hall da fama da liga nacional.

Ano passado, o jogo entre Green Bay Packers x Indianapolis Colts não aconteceu devido à problemas no estádio localizado em Canton, Ohio. Esse ano a partida está confirmada, mas deve trazer reservas dos dois lados.

Não está valendo nada (ainda).

Mas para começo de conversa é um excelente aperitivo. Setembro está chegando e a ansiedade com o começo só aumenta.

Guilherme Porto

Guilherme Porto

Algo entre o famoso soccer e o lacrosse universitário da Irlanda do Norte me interessam. A paixão por esportes (lê-se quase todos), acompanhada de uma boa resenha e uma cerveja gelada me encantam bastante. E, apesar de não podermos beber aqui, o resto garanto passar com agilidade e muita informação.



Related Articles

NFL – Análise da temporada: Oakland Raiders

Foto: Thearon W. Henderson/Getty Images Uma lesão que mudou tudo e a futura ida para Las Vegas; veja como foi

NFL – Análise da temporada: Denver Broncos

Foto: Justin Edmonds/Getty Images Sem Manning, sem linha ofensiva e sem jogo terrestre; veja como foi a temporada do Denver

NFL – Análise da temporada: Cincinnati Bengals

Foto: Frank Victores/AP. Diversas lesões, mais multas para Burfict e um Dalton desprotegido; confira como foi a temporada do Cincinnati

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido