A surpreendente decisão de Kyrie Irving

by Felipe Coelho | 23 de julho de 2017 20:37

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Kyrie Irving estaria cansado de ser o “Robin” de LeBron James (Foto: Gregory Shamus/Getty Images)

Insatisfeito com a posição de coadjuvante em Cleveland, Kyrie Irving quer ser franchise player

Na última sexta-feira (21/07) o período de Off-Season ganhou mais um capítulo, quando de forma bombástica o armador Kyrie Irving teria pedido para ser trocado. O motivo: sair da sombra de LeBron James em Cleveland e buscar uma franquia onde possa ser o principal jogador e protagonista.

A notícia teria pego todos de surpresa. Isso incluiria James, o resto do elenco e a direção do Cavs. Após um período relativamente tranquilo, isso foi o necessário para chacoalhar de ponta-cabeça o mercado e reacender as movimentações nos bastidores.

Mas, o que o motivou a fazer um pedido desse tamanho?

Draftado em 2011 como primeira escolha, Kyrie entrou em uma época em que Cleveland tinha sido “abandonada” por um LeBron insatisfeito com a falta de competitividade da franquia. Logo de cara, Irving se tornou o principal jogador. Porém, nas suas primeiras 3 temporadas defendendo os cavs, apenas em uma delas a equipe passou de 30 vitórias — curiosamente, a última antes da chegada de James e Kevin Love

Após três finais seguidas, a franquia é hoje uma das principais a disputar o título e também principal rival do super-time do Golden State Warriors[1].

É esse ponto que muitos não conseguem entender.

Afinal, por que um jogador com o calibre de Irving quer sair de uma equipe poderosa e que pode lhe render mais títulos?

Tudo se resume a protagonismo. Em 2011, lhe foi prometido ser o cara da franquia. Não sabemos se a chegada de Love e James era esperada pelo jogador, mas é possível imaginar que isso tenha alterado seus planos – já que quando assinou a extensão máxima de 5 anos em seu contrato, a vinda de LeBron e Kevin eram apenas especulações.

Após 3 anos da chegada dos dois, Irving se vê preso em uma situação nada satisfatória.

De acordo com relato dos repórteres Ramona Shelburne, Dave McMenamin e Brian Windhorst da ESPN, a insatisfação vai além do fato de ter de assumir uma posição secundária, de certa forma sendo ofuscado, e não ter o controle da bola o tempo todo — LeBron assume essa responsabilidade diversas vezes na partida. O armador estaria incomodado com o fato de não poder ser a figura central de sua franquia, como acontece com amigos próximos, como Damian Lillard e Jonh Wall, no Portland Trailblazers e no Washington Wizards, respectivamente.

Ao pedir para ser trocado, Kyrie vai na contramão do pensamento dos jogadores nos últimos anos. Atletas que abrem mão de serem protagonistas ou de salários astronômicos para se juntar à um time estrelado e capaz de disputar o título.

As reuniões desses super-times se tornaram a “nova moda” da NBA. Tivemos o Big-Three de Miami, formado por LeBron James, Dwayne Wade e Chris Bosh; o Los Angeles Lakers em 2012, que reuniu Kobe, Pau Gasol, Steve Nash e Dwight Howard; na última temporada, Kevin Durant se juntou aos Warriors de Steph Curry, Klay Thompson e Draymond Green; nessa Off-Season, houve a tentativa do Boston Celtics de reunir Gordon Hayward e Paul George no time de Isaiah Thomas e Al Horford — mas apenas Hayward assinou com a equipe. George foi parar em OKC.

Por isso, de certa forma essa decisão de Kyrie é tão surpreendente. O jogador não possui controle nenhum sobre qual seria seu destino — seu contrato não detém cláusula de veto. E ao abrir mão de estar em uma das equipes mais fortes da liga, Irving deixa claro que prefere ser feliz jogando por um time mais fraco e sem perspectiva de disputar o campeonato. Tudo em busca de uma franquia que possa chamar de sua.

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Endnotes:
  1. Golden State Warriors: http://risesportes.com.br/2017/08/04/mercado-nba-divisao-do-pacifico/

Source URL: http://risesportes.com.br/2017/07/23/surpreendente-decisao-de-kyrie-irving/