Corona Open J-Bay: espetáculo coletivo na costa africana

Corona Open J-Bay: espetáculo coletivo na costa africana

Jordy Smith em uma de suas ondas perfeitas (Foto: Cestari/WSL)

O desempenho da elite em J-Bay até agora bate as quatro notas 10 do Tahiti no ano passado; ninguém poderia prever resultados coletivos tão bons

A sexta etapa do Circuito Mundial de Surfe chegou rasgando em Jeffreys Bay. Desde o primeiro round a elite vem pontuando alto. Se as duas primeiras fases foram festivais de notas nove, o terceiro e o quarto rounds foram espetáculos de ondas nota dez.

Os campeões mundiais John John Florence, Mick Fanning e Gabriel Medina fizeram cama no terceiro round e passaram direto para a fase seguinte sem preocupações. O desempenho do brasileiro em na África do Sul está visivelmente melhor do que nas etapas anteriores. É cedo para dizer que ele ‘pegou no tranco’ já que, ultimamente, a inconstância tem sido a única regra nas performances do campeão. Porém, o brasileiro ainda confirmou sua melhora no quarto round contra o francês Joan Duru e o terceiro colocado do ranking Owen Wright. Medina pontuou duas ondas na casa dos nove (9.67+9.07) e avançou para as quartas de final.

Mick Fanning, John John Florence e Frederico Morais se encontraram no segundo heat do quarto round. O português mostrou a fome logo na primeira onda e alcançou 9.6. Não satisfeito em estar em segundo lugar, JJ achou que era a hora de dar show. O havaiano lembrou a todos do que é feito: puro talento. Carimbou mais uma nota 10 na competição surfando com o estilo inconfundível de um campeão mundial. Mas, Frederico, com uma qualidade técnica absurda, levou o heat com outra nota na casa dos nove (9,47), somando 19,07 e avançando na etapa.

Perfeição

Jordy Smith, surfando em casa, fechou o terceiro round com duas ondas perfeitas. Ao somar a nota máxima possível (20,0),  assegurou a vaga na fase seguinte onde um ocorreu um incidente curioso.

Aparição de tubarão

O tubarão à direita entre duas séries mais ao fundo (Foto: Reprodução/WSL)

Durante a disputa do terceiro heat do quarto round, enquanto Jordy Smith estava em ação, um tubarão foi visto em J-Bay. Filipe Toledo e Julian Wilson – presente no ataque a Fanning de 2015 – foram levados pela equipe de segurança para fora da água. Os competidores saíram ilesos e o heat, interrompido naquele momento, será retomado amanhã (19) antes do quinto round.

Como segue o campeonato

Após a disputa do último heat do quarto round, a próxima fase de repescagem vem estrelada, com Fanning, Wright, Florence e Joan Duru. Os outros nomes ainda estão para serem confirmados. Apenas Medina e Frederico Morais já marcam presença nas quartas de final. Kelly Slater segue lesionado por conta dos cortantes mariscos das praias rochosa de Jeffreys Bay.

 

Izabelle Souza

Izabelle Souza

Estudante de Publicidade, 20 anos, nascida e criada entre Niterói e São Gonçalo. A criança que queria correr na F1, mas acabou nadando até chegar na praia. E ainda bem que chegou! Da areia, não conseguiu evitar se apaixonar pelo surf. Da vida, não foi capaz de separar o trabalho do esporte.



Related Articles

Fiji Pro: quem viu Wilkinson chegando?

Apesar do comportamento amistoso na areia, Wilko é ameaça na água (Foto: WSL/ Cestari) Após os days off do Outerknown

MargiesPro Women’s: campeãs sendo campeãs

Tyler Wright no Drug Aware Margaret River Pro 2016 (Foto: Divulgação/WSL) A elite do surf feminino segue o próprio ranking

Margaret River Pro: campeões caindo e zebras surfando

Jacob Willcox elimina Medina na repescagem (Foto: Divulgação/WSL) Dois palcos, surpresas e muito surf nos primeiros dias de competição. Como uma pintura.

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido