Especial NBA – Mock Draft 2017

Especial NBA – Mock Draft 2017
FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

É chegado um dos momentos mais aguardados da temporada, o Draft da NBA! Com certeza não restam unhas aos prospectos do basquete universitário norte-americano, na ansiedade da possibildiade de serem escolhidos para fazer parte do melhor basquete do mundo – vale lembrar que jogadores internacionais também podem ser escolhidos.

É hora de conhecer as novas caras da NBA, se os times vão utilizar bem ou mal suas picks, que diretorias merecerão ser elogiadas, e quais merecerão ser cornetadas! É momento de expectativa, frustração, empolgação, trocas loucas de última hora (e de comemorar que o Golden State Warriors não tem escolha na primeira rodada, porque com aquele time, já chega, né…).

No aquecimento do evento dessa quinta-feira (dia 22), a RISE Esportes não poderia ficar de fora dessa e vai apresentar seu próprio Mock Draft. Uma “brincadeira” onde imaginamos o que cada time pode/deve fazer com suas seleções no draft. Faremos a simulação da rodada mais importante, o Primeiro Round.

Não é o primeiro Mock Draft da RISE Esportes. Nesse ano, nossos colunistas de futebol americano, Guilherme Porto e Vinícius Mathias, apresentaram cada um as suas previsões para a primeira rodada do Draft da NFL. Você pode conferí-las aqui e aqui.

Amanhã (22), às 20h, acontecerá toda a ação do Draft da NBA, e você poderá acompanhar tudo em tempo real através do nosso twitter @risesportes. Mas começamos desde já os trabalhos, com os shoots de 3 de Daniel Pinheiro!

Round 1

philadelphia 76ers1. Philadelphia 76ers (Via Celtics) – Markelle Fultz (Armador, Washington)

Novamente os 76ers tem a primeira escolha do Draft, já é o segundo ano consecutivo. Dessa vez, a franquia de Philadelphia conseguiu a posição mais esperada em uma troca com os Boston Celtics. A franquia de Boston enviou a primeira escolha do Draft de 2017 e recebeu a terceira escolha desse ano e uma escolha de primeira rodada de 2018 ou 2019. Caso a escolha de 2018 não caia entre as posições 2 e 5 na loteria, os Celtics receberão a escolha de 2019.

A troca entre as equipes aconteceu para que o desejo nada particular dos 76ers de selecionar Markelle Fultz, armador da Universidade de Washington, se realizasse. O jogador fez alguns treinamentos em Philadelphia e despertou muito o interesse da franquia em selecioná-lo. Inclusive, Joel Embiid, pivô camaronês e principal estrela dos 76ers postou uma foto com Fultz e Ben Simmons – primeira escolha do ano passado que ainda não estreou na NBA por conta de lesão – nas redes sociais com a hashtag “The Process”, como ele próprio se apelidou.

O armador de 1,93m consegue pontuar de qualquer lugar, desde infiltrações até chutes de três contestados. Sua habilidade de criar situações para o arremesso é impressionante. Fultz parece ter 20 anos de experiência com apenas 19 de vida, é um jogador muito fora da curva. Outro ponto favorável é que Markelle está fisicamente pronto para a NBA, seus 88 quilos, sua envergadura de 2,03m e sua agilidade impressionam.

Los Angeles Lakers2. Los Angeles Lakers – Lonzo Ball  (Armador, UCLA)

A tradicionalíssima franquia de Los Angeles não passa por bons momentos há alguns anos, e depois da aposentadoria de Kobe Bryant, tudo piorou de vez. Mas os Lakers veem em Lonzo Ball a oportunidade de iniciar uma nova era e, quem sabe, trazer de volta o antigo espírito vencedor da franquia. O polêmico Lavar Ball, pai de Lonzo, já declarou que seu filho só entra na NBA se for para jogar pelo time de Los Angeles. Outro que também já externou seu desejo de ver Lonzo vestindo dourado e roxo é a lenda e atual general manager da franquia Magic Johnson. Em entrevista a FOX americana, Magic disse que o estilo de jogo do armador lembra muito o dele e não escondeu a animação.

Lonzo tem um talento nato para jogar basquete. Apesar de seu arremesso para lá de esquisito, é um exímio chutador de bolas de três pontos. Também é um dos melhores organizadores desse Draft, tem uma ótima visão de jogo e um bom passe. No entanto, precisa melhorar seu jogo de infiltração e sua defesa.

Boston Celtics3. Boston Celtics (Via 76ers) – Josh Jackson (Ala, Kansas)

Os Celtics devem selecionar Josh Jackson, ala da Universidade de Kansas. Jackson chama a atenção por sua qualidade defensiva. O ala é capaz de defender do armador ao ala-pivô sem grandes dificuldades. Seu desempenho atlética e explosão são impressionantes. Jackson tem uma força incrível, está fisicamente pronto para a NBA. Porém, não sabe se virar muito bem no ataque, tem um leque pequeno de movimentos e constantemente apela para as enterradas por conta de sua força física. É um ponto que precisa ser bem trabalhado para que ele possa fazer barulho na NBA, pois é um jogador de muito potencial.

Phoenix Suns4. Phoenix Suns – De’Aaron Fox (Armador, Kentucky)

Os Phoenix Suns devem escolher De’Aaron Fox, jovem armador de Kentucky. De’Aaron, de 1,93m, impressiona por seu atleticismo. Sua explosão e velocidade chamam a atenção. Sua habilidade de pontuar também é acima da média. Fox, de apenas 19 anos e tem um potencial imenso para ser explorado. Se for bem treinado, melhorar seu poder de organização e ganhar massa muscular, será um all-star em pouco tempo.

Sacramento Kings5. Sacramento Kings – Jayson Tatum (Ala, Duke)

Os Kings devem selecionar o ala Jayson Tatum, da Universidade de Duke. Tatum é uma das grandes promessas desse Draft. O ala foi treinado por ninguém menos que Coach K na universidade e tem tudo para estourar nos próximos anos na liga. Muito bom jogador no jogo de um contra um. Apesar de seu tamanho e força – 2,03m e 93kg – Tatum é um jogador ágil e um bom chutador de média distância. Jayson também é um grande defensor, sua agilidade e trabalho de pés dão ao jogador capacidade de marcar jogadores mais baixos que ele. Além disso, o jovem de 19 anos impressionou os olheiros por sua grande liderança e espírito competitivo.

6. Orlando Magic – Jonathan Isaac (Ala, Florida State)

A famosa franquia de Orlando deve escolher Jonathan Isaac, da Universidade Estadual da Flórida. Isaac chama a atenção por seu tamanho e agilidade. O ala tem 2,11m, mas se move muito bem pela quadra. É muito semelhante a Kevin Durant, ala dos Golden State Warriors. Por conta de sua altura, Isaac é muito versátil em quadra, podendo jogar até de pivô se necessário. Sua velocidade e habilidade impressionam. Porém, o ala é muito magro para a sua altura e sofrerá um pouco enquanto não ganhar peso.

7. Minnesota Timberwolves – Dennis Smith (Armador, North Carolina State)

A promissora equipe dos Timberwolves deve escolher o também promissor Dennis Smith, armador da Universidade Estadual da Carolina do Norte. Smith é um armador muito atlético. É muito rápido e tem nos contra-ataques sua principal arma, é quase imparável. Tem um bom controle de bola, boa visão de jogo e infiltra muito bem no garrafão. Seu jogo de média e longa distância também são muito satisfatórios. Com certeza seria uma boa sombra para Ricky Rubio, que não conseguiu manter o alto nível durante a temporada. É um jogador para ficar de olho, pouca mídia e muita bola. Na minha opinião, era Top 3 nesse draft, porém não tem o mesmo holofote dos outros jogadores.

8. New York Knicks – Lauri Markkanen (Ala-Pivô, Arizona)

Os Knicks devem escolher o ala-pivô finlandês Lauri Markkanen, da Universidade de Arizona. Atualmente, a franquia de Nova Iorque só tem um ala-pivô no plantel, o também europeu Kristaps Porzingis, da Lituânia. Markkanen seria a oportunidade perfeita de achar um substituto com as mesmas características de Porzingis. Lauri tem 2,13m e boa mobilidade, assim como Kristaps, que tem 2,21m e é muito ágil. Markkanen tem uma mecânica de arremesso excelente, mas precisa aumentar a velocidade que a bola sai de sua mão. O Finlandês também precisa aprimorar sua forma física e adquirir mais massa muscular para conseguir jogar na NBA sem risco de lesões.

Dallas Mavericks9. Dallas Mavericks – Malik Monk (Ala-Armador, Kentucky)

Os Mavs devem selecionar Malik Monk, da tradicional Universidade de Kentucky. Monk é o clássico ala-armador pontuador. Sua habilidade de pontuar de qualquer lugar e seu atleticismo podem ajudar muito a suprir a carência de ‘guards’ de Dallas. Malik também ficou muito conhecido por ser o Mr. Clutch de Kentucky, o cara que pegava a bola no final de jogo e decidia. O jogo que chamou mais atenção foi contra a atual campeã da NCAA, Universidade da Carolina do Norte, onde Monk anotou incríveis 47 pontos e decidiu o jogo para sua equipe na última bola. Precisa aprimorar seu controle de bola e ganhar peso se quiser ser um all-star, pois potencial ele tem de sobra.

Sacramento Kings10. Sacramento Kings – Frank Ntilikina (Armador, Strasbourg – FRA)

Em sua segunda escolha de primeira rodada, os Kings devem selecionar o armador belga, naturalizado francês, Frank Ntilikina. O armador de apenas 18 anos mostrou um potencial incrível no Campeonato Europeu Sub-18 e chamou a atenção de alguns olheiros da NBA. Frank tem 1,96m, alto para um armador, mas mesmo assim é muito ágil e veloz. O francês é um excelente defensor, seus braços largos permitem que ele roube muitas bolas e dê muitos tocos. Sua inteligência e leitura de jogo estão bem acima da média para a idade. Porém, ele ainda está um pouco “verde”. Se for bem trabalhado, principalmente na parte física, renderá bons frutos futuramente.

11. Charlotte Hornets – Luke Kennard (Ala-Armador, Duke)

Os Hornets, franquia que tem como dono Michael Jordan, devem selecionar Luke Kennard, da Universidade de Duke. Kennard é um dos melhores chutadores desse Draft. Consegue pontuar de qualquer lugar, principalmente da linha de três pontos. Porém, Luke ainda necessita aprimorar a parte física de seu jogo para conseguir se manter em alto nível.

Detroit Pistons12. Detroit Pistons – Donovan Mitchell (Ala-Armador, Louisville)

Os Pistons devem selecionar Donovan Mitchell, ala-armador da Universidade de Louisville. Donovan impressionou os olheiros nos treinamentos pré-Draft. Seu desempenho físico e força compensam sua estatura abaixo da média para um ala-armador, Mitchell tem 1,91m. É um jogador muito veloz e consegue aproveitar os contra-ataques para fazer alguns pontos. Ele ainda precisa melhorar bastante na defesa.

Denver Nuggets13. Denver Nuggets – Zach Collins (Ala-Pivô, Gonzaga)

Os Nuggets devem escolher o ala-pivô da Universidade de Gonzaga, Zach Collins. Zach tem 2.13m, mas tem a agilidade necessária para jogar na posição 4. Sua altura também permite que ele jogue de pivô, se necessário. Collins ajudou muito a Universidade de Gonzaga na NCAA, principalmente no Final Four e na final contra a universidade de North Carolina. Collins precisa ganhar peso para aguentar o estilo de jogo da NBA.

Miami Heat14. Miami Heat – John Collins (Ala-Pivô, Wake Forest)

O Miami Heat deve escolher o ala-pivô da Universidade de Wake Forest, John Collins. Collins não é um jogador tão talentoso, mas compensa muito bem com raça e entrega dentro de quadra, fator que enche os olhos dos americanos. John tem 2,08m e pesa 102 quilos, físico adequado para a NBA. Além disso é um reboteiro nato. Precisa melhorar muito seu jogo ofensivo, principalmente de média e longa distância.

 

15. Portland Trail-Blazers – Justin Jackson (Ala, North Carolina)

A franquia de Portland deve selecionar Justin Jackson, campeão da NCAA com a Universidade da Carolina do Norte e eleito jogador do ano na Conferência ACC. Justin é um jogador muito versátil ofensivamente, também está acostumado com pressão e é o tipo de jogador que gosta dos grandes momentos. Jackson precisa melhorar bastante o aspecto físico, principalmente sua explosão, que é bem abaixo da média para a NBA.

16. Chicago Bulls – Jarrett Allen (Pivô, Texas)

A famosa franquia de Chicago deve escolher Jarrett Allen, pivô da Universidade do Texas. Allen tem uma das maiores envergaduras desse Draft com incríveis 2,27m. Isso ajuda muito no seu jogo defensivo, aumentando sua capacidade de defender o aro. É um pivô muito ágil, acompanhando a evolução dos pivôs da NBA. Allen precisa ganhar peso para conseguir jogar em alto nível contra pivôs mais fortes.

Milwaukee Bucks17. Milwaukee Bucks – Justin Patton (Pivô, Creighton)

Os Bucks devem escolher Justin Patton, pivô da Universidade de Creighton. Justin é um pivô muito atlético, alvo de muitas pontes-aéreas e constantemente usado nos pick and rolls. Tem 2,13m e mesmo assim tem um bom controle de bola, capaz de puxar alguns contra-ataques. Tem um bom físico, mas não sabe usá-lo, constantemente foge desse estilo de jogo. Ainda é um pouco inexperiente, precisa ser trabalhado para começar a dar os frutos desejados.

18. Indiana Pacers – Bam Adebayo (Pivô, Kentucky)

O Indiana Pacers deve selecionar Bam Adebayo, da Universidade de Kentucky. Adebayo é o pivozão clássico. Tem um físico pronto para NBA e de dar inveja para alguns que já estão na liga. Adebayo tem 2,08m, 113 quilos e apenas 5% de gordura corporal; impressionante. Consegue pegar muitos rebotes, principalmente no garrafão adversário e usa da sua força e explosão para ganhar espaço perto do aro e finalizar, geralmente com enterradas. Porém, ele ainda precisa evoluir muito o lado técnico de seu jogo, atualmente é mais um atleta que um jogador. Se conseguir melhorar nesse aspecto, será um dos melhores pivôs da liga em alguns anos.

19. Atlanta Hawks – Harry Giles (Pivô, Duke)

Os Hawks devem escolher Harry Giles, da Universidade de Duke. Giles é um jovem pivô muito promissor. Até ano passado era cotado para as primeiras escolhas desse Draft, porém acabou rompendo os ligamentos cruzados anteriores dos dois joelhos e passou muito tempo se recuperando dessas lesões. Jogou muito pouco durante a universidade por conta disso. Mas com seu grande potencial e tendo Dwight Howard como mentor, tem tudo para evoluir e retomar o bom basquete.

20. Portland Trail-Blazers – T.J. Leaf (Ala-Pivô, UCLA)

Os Trail-Blazers devem selecionar T.J. Leaf, ala-pivô da Universidade da Califórnia. T.J. é um excelente chutador, tem uma boa mecânica e um índice de acertos animador para qualquer olheiro. Também se destacou por seu “trabalho sujo”, ajudou sua equipe pegando muitos rebotes. Leaf tem bastante técnica, mas precisa de um físico melhor para fazer seu jogo funcionar.

21. Oklahoma City Thunder – Ike Anigbogu (Pivô, UCLA)

A franquia de OKC deve selecionar Ike Anigbogu, pivô de apenas 18 anos que atuava pela Universidade da Califórnia. Anigbogu é um dos mais jovens desse Draft, só completa 19 anos em outubro. Além disso tem um excelente físico com 2,08m, 113 quilos e incríveis 2,29m de envergadura. Por conta de sua pouca idade, é muito inexperiente ainda e precisa ser bem trabalhado. Seu chute é bem fraco e seu jogo de costas para o aro também deixa a desejar. É um bom investimento a longo prazo.

22. Brooklyn Nets – Og Anunoby (Ala, Indiana)

ALERTA CORNETA. O amadorismo da diretoria dos Nets fez com que a franquia perdesse a chance de sair bem em um dos melhores Drafts da década. Uma troca pouquíssimo inteligente com os Celtics para trazer os já veteranos, e agora aposentados, Kevin Garnett e Paul Pierce entregou de bandeja duas escolhas excelentes. Se essa troca não tivesse acontecido, os Nets teriam a primeira escolha desse ano e uma provável Top 5 no ano que vem também. Pierce e Garnett pouco renderam em Brooklyn e só os Celtics saíram ganhando. Agora vamos ao que importa.

Os Nets devem escolher Og Anunoby, da Universidade de Indiana. Anunoby é um ala muito forte e com o físico pronto para NBA. Tem 2,02m e 106 quilos, um verdadeiro tanque. Além disso o ala é muito ágil e consegue defender qualquer jogador, do armador ao pivô. Não é dos melhores ofensivamente, mas tem noção disso e não se importa de receber poucas bolas no ataque. Precisa aprimorar muito sua técnica, principalmente seu controle de bola.

23. Toronto Raptors – Anzejs Pasecniks (Pivô, Gran Canaria – ESP)

Os Raptors devem escolher o pivô letão Anzejs Pasecniks, jogador do Gran Canaria da Espanha. Pasecniks lembra muito o ala-pivô dos New York Knicks, Kristaps Porzingis. Anzejs mede 2,18m e mesmo assim é dono de uma mobilidade e controle de bola impressionantes para a altura. Possui uma boa mecânica de arremesso, porém ainda é um pouco lenta. Precisa ganhar mais peso para aguentar o forte jogo dos pivôs da NBA e trabalhar principalmente sua explosão.

24. Utah Jazz – Josh Hart (Ala-Armador, Villanova)

A franquia de Utah deve selecionar Josh Hart, ala-armador e cestinha da Universidade de Villanova. Josh foi eleito MVP e Defensor do Ano na Conferência Big East, isso já fala um pouco de seu potencial. Ele tem 1,98m de altura e pesa 93 quilos, um físico pronto para a NBA. Consegue pontuar de qualquer lugar. No setor defensivo também se destaca pela sua entrega e disposição dentro de quadra, brigando sempre por todas as bolas. Precisa melhorar sua explosão e criação de arremessos.

Orlando Magic25. Orlando Magic – Semi Ojeleye (Ala, SMU)

O Orlando Magic deve selecionar o nigeriano Semi Ojeleye, ala da Universidade Metodista Meridional (melhor SMU mesmo). Semi é um jogador que chama a atenção por seu físico avantajado. O ala mede 2,01m e pesa 107 quilos, realmente muito forte. Tem uma explosão e velocidade acima da média, pronto para a NBA. Semi sabe aproveitar seu porte físico dentro de quadra e abusa das infiltrações, onde consegue cavar muitas faltas. Também possui um bom potencial defensivo, que precisa ser explorado e trabalhado. Precisa aumentar seu repertório de finalizações próximo à cesta.

26. Portland Trail-Blazers – Derrick White (Armador, Colorado)

A equipe de Portland deve escolher Derrick White, armador da Universidade do Colorado. White mede 1,96m e pesa 91 quilos, excelente físico para a NBA. Entretanto, Derrick não possui uma boa explosão física, fato que o deixa atrás dos outros armadores do Draft e principalmente dos armadores da liga. Derrick consegue imprimir um bom ritmo ao time dentro de quadra e é um jogador bastante sólido nas jogadas de pick and roll.

27. Brooklyn Nets – Ivan Rabb (Ala-pivô, California State)

Os Nets devem selecionar Ivan Rabb, ala-pivô na Universidade Estadual da Califórnia. Rabb tem 2,08m de altura e 98 quilos, mas chama a atenção por sua mobilidade dentro de quadra. Ivan precisa ganhar peso para conseguir impor seu jogo contra os pivôs da liga. É um jogador consistente e de potencial, mas precisa ser bem trabalhado.

Los Angeles Lakers28. Los Angeles Lakers – Frank Jackson (Ala-Armador, Duke)

Os Lakers devem selecionar Frank Jackson, ala-armador de Duke. Jackson tem tido um papel importante em Duke. Mesmo não sendo um dos principais jogadores da equipe, Jackson colaborou muito com pontuações sólidas durante o campeonato. Frank tem o físico pronto para a NBA. Medindo 1,93m e pesando 94 quilos, o ala-armador consegue pontuar tanto no jogo de jumpshots como no jogo físico dentro do garrafão.

29. San Antonio Spurs – Tony Bradley (Pivô, North Carolina)

Os Spurs devem escolher Tony Bradley, pivô da Universidade da Carolina do Norte. Bradley não jogou tantos minutos durante a campanha de North Carolina para o título da NCAA. Porém, quando entrava conseguia mostrar seu potencial como grande reboteiro e um pivô oportunista. Bradley tem um excelente físico para a NBA, medindo 2,08m e pesando 113 quilos. Tony só precisa de um pouco mais de experiência, mas isso só se adquire com tempo de quadra.

30. Utah Jazz – Caleb Swanigan (Ala-Pivô, Purdue)

Os Jazz devem selecionar Caleb Swanigan, ala-pivô da Universidade de Purdue. Swanigan tem uma das histórias de vida mais interessantes e inspiradoras desse Draft. Tendo que batalhar contra uma série de problemas pessoais na adolescência como obesidade, a morte de seu pai e chegando até a ser morador de rua, Swanigan deu a volta por cima e conseguiu transformar seu corpo e sua vida através do basquete. Caleb é um dos pivôs mais imponentes desse Draft, medindo 2,06m e pesando 112 quilos, ele sabe usar o físico a seu favor como ninguém. É um jogador de potencial, mas precisa ser bem trabalhado, principalmente no setor defensivo.

É isso! Concordam, discordam ou muito pelo contrário? Deixe sua opinião e faça seu Mock Draft também! Mas cuidado, é altamante viciante!

(Errata: até o momento da elaboração desse Mock Draft, o Los Angeles Lakers ainda não havia feito a trade com o Brooklyn Nets pela 27ª pick. Para manter o espírito da brincadeira, resolvemos deixar nosso palpite sem essa alteração de última hora)

FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Daniel Pinheiro

Daniel Pinheiro

Amante de todos os esportes, mas com uma queda grande pelo basquete. Pratica o esporte desde os 12 anos e chegou a integrar as categorias de base do Vasco da Gama. No meio do caminho conheceu sua outra paixão: o jornalismo. E agora, na equipe da RISE tem a oportunidade de conciliar esses dois amores.
É o típico flamenguista chato. Também é torcedor dos Lakers, viúva do Kobe Bryant e fã-boy do Carmelo Anthony. No futebol americano, costuma sofrer com os Cowboys.
Atualmente faz parte do time de basquete da Atlética de Comunicação e da SeleUFF.



Related Articles

Aleksandar Petrović: sotaque croata na Seleção

Aleksandar Petrović, novo técnico do Brasil (Foto: Jorge Zapata/EPA) Aleksandar Petrović, ex-treinador da seleção da Croácia, assumirá o comando técnico

Em jogo emocionante, Carolina do Norte bate Gonzaga e é campeã da NCAA

Carolina do Norte levantando o troféu da NCAA (foto: ESPN College Basketball Facebook) A final foi decidida nos últimos segundos com

Warriors evitam virada histórica, derrotam Cavs e conquistam título da NBA

O Golden State Warriors é o campeão da temporada 16-17 (Foto:Kelley L Cox/USA TODAY Sports) Curry e Durant combinaram 73

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido