Copa do Brasil: Fim precoce

Copa do Brasil: Fim precoce

Entrada de Nogueira em Luan, em menos de 5 minutos, mudou todo o panorama da partida (Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Tricolor recebe uma ducha de água fria e dá adeus à Copa do Brasil ainda nas oitavas de final. Lance aos 4 minutos mudou os rumos da partida

Falar sobre uma derrota não é fácil, ainda mais quando ela vem acompanhada de uma eliminação. A derrota sofrida para o Grêmio não foi diferente. Empolgado com a possibilidade de reverter o placar e sair de campo classificado para a próxima fase, o torcedor se frustrou antes mesmo dos 5 minutos de jogo com a expulsão de Nogueira, deixando o Time de Guerreiros com um a menos até o apito final. 

O lance capital

Antes mesmo de falar sobre a partida, é necessário falar sobre o lance que modificou toda a sua conjuntura: a expulsão de Nogueira. Com um início de jogo forte e colocando pressão, o Fluminense ficou suscetível ao contra ataque. Após confusão na área em falta cobrada por Gustavo Scarpa, o tricolor gaúcho fica com a sobra para pegar a defesa desprevenida e arrancar em direção ao gol carioca. Com a falha clara de Orejuela, que se antecipou ao tentar cortar, Luan avançou e obrigou o zagueiro a derrubá-lo. Os tricolores mais ferrenhos – como eu – defendem que o juíz poderia ter apenas advertido com o cartão amarelo (assim como o fez em lance parecido, mais tarde), e não tê-lo expulsado com apenas 4 minutos de jogo. Mesmo assim, não se pode colocar a culpa no árbitro. Nesse lance ficou evidenciado os contrapontos em ter um time recheado de jovens jogadores. Nunca que o Gum teria dado um carrinho como esse!

Novo jogo se inicia

Após a expulsão, toda a estratégia adotada pelo Fluminense foi por água abaixo. Vencer qualquer time contando com um jogador a menos é complicado, ainda mais esse time sendo o Grêmio. Em vantagem numérica, o time comandado por Renato Gaúcho fez o necessário para se classificar sem sustos. Tocando muito bem a bola e cozinhando o Flu, o caminho para o gol logo apareceu. Em uma troca de passes rápida com muito espaço e tempo para pensar, o excepcional Luan acertou um lindo chute de fora da área para deixar a esperança dos torcedores no chão. Pouco depois, ainda no primeiro tempo, Pedro Rocha recebe completamente livre, dribla Cavallieri e amplia para O Imortal, pegando a esperança do chão e destruindo-a. 

Há sempre algo para comemorar em meio ao caos

Tricolores mais uma vez comparecem ao estádio quando o time precisa (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

É importante ressaltar que mesmo com todas as dificuldades enfrentadas e muitas vezes parecendo apático, o tricolor das Laranjeiras não desistiu de tentar. Como eu já tive a oportunidade de dizer, o Fluminense de 2017 apresenta uma garra sem tamanho, trazendo de volta a alma tricolor que há muito parecia sumida. Mesmo precisando fazer 5 gols para garantir a classificação, os jogadores tentaram, sem muito sucesso, até o fim.

Outro ponto positivo que merece destaque é a torcida. Apesar de não ter lotado o Maracanã – pouco mais de 20 mil pessoas -, os torcedores não pararam de cantar e apoiar o time. Mais uma vez se fizeram presente quando foi necessário. Ao fim do jogo o técnico Abel Braga fez questão de mostrar o quanto a torcida é importante e faz a diferença para ele e seus jogadores, inclusive pedindo para que os mesmos agradecessem o apoio ainda no campo. Bela atitude!

O ano não acabou

Os Guerreiros ainda vão nos dar muitas alegrias (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Agora eliminado da Copa do Brasil, restam ao Fluminense ainda o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana, vista como o torneio mais importante da temporada para o clube. Mesmo com poucas peças de reposição e com algumas quedas de rendimento, continuo reiterando que o Time de Guerreiros tem um time forte o suficiente para brigar pelos dois títulos que ainda restam. Se depender da garra vista não só ontem mas como em toda a temporada até aqui, o torcedor pode acreditar.

Matheus Deccache

Matheus Deccache

Tentado ao lado (rubro)negro da força, não cedeu e se tornou tricolor. Tem um carinho especial pela bola redonda e oval. Durante muito tempo teve o sonho de se tornar um jogador de futebol e vestir a amarelinha. Mais tarde, passou a enxergar com clareza e utilizar as palavras para que todos entendessem sua paixão pelo mundo maravilhoso do esporte.



Related Articles

Existe lado bom da tragédia?

Diego operou o joelho e fica fora por pelo menos um mês (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo) Flamengo vive desafio importante

Vencer ou vencer

Guerrero não terá seus companheiros de ataque hoje contra o Furacão  (Foto: Flamengo) Flamengo faz seu primeiro jogo decisivo do

Botafogo x Flamengo: é preciso ler nas entrelinhas

Diego teve a melhor chance do jogo, mas esbarrou na trave (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo). Ao final de Botafogo x

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido