Boas escolhas e gente dormindo: teve de tudo!

Boas escolhas e gente dormindo: teve de tudo!
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Roger Goodell, o cara “mais adorado” da NFL, iniciando os trabalhos do segundo dia (Foto: Reprodução/USA TODAY)

Algumas escolhas de first round, apareceram nas rodadas seguintes e o Mr. Irrelevant caiu no sono esperando ser escolhido; confira o resumão das principais escolhas das rodadas 2 a 7 do draft da NFL.

Acabou o draft da NFL! Após três dias bem movimentados (de 27 a 29), finalmente conhecemos todos os calouros que farão parte da National Football League. Como são muitas escolhas, mais precisamente 250, a RISE Esportes vai dividir seus especiais de análise em dois. Anteontem, a análise da primeira rodada veio com tudo. Hoje, as rodadas de 2 a 7 vão ser analisadas friamente em forma de resumão.

Segundo e terceiro dias (Sexta e Sábado, 28 e 29 de abril) – Rodadas 2 a 7

No geral, as escolhas principais (segundo as análises de combine e com os números de College Football) figuraram na segunda rodada, como de costume. Mas, como tudo na NFL, muitas surpresas podem surgir nas rodadas seguintes (alô, Tom Brady!).

Os destaques principais são: Dalvin Cook (RB escolhido pelos Vikings), que certamente é um dos melhores da classe, a principal falta sentida na rodada 1; Cam Robinson (OT escolhido pelos Jaguars), um dos princpais nomes de linha ofensiva, também fazendo falta na rodada 1; e a estranha escolha de Caleb Brantley (DT escolhido pelos Browns), que com a ficha completamente suja fora de campo, não esperava nem ser escolhido, mas recebeu uma chance de Cleveland, por todo seu potencial.

Confira aqui as principais escolhas, que envolvem quase todos os times da liga.

Arizona Cardinals

Rodada 2, Pick 4 (36) – Budda Baker (S, Washington): Baker era certamente um dos cotados para figurar entre as escolhas de primeira rodada do draft. Não sendo escolhido, acabou caindo na boa defesa de Arizona e vai crescer bastante dentro da liga.

Budda Baker em Washington (Foto: Casey Sapio/USA TODAY Sports)

Rodada 4, Pick 8 (115) – Dorian Johnson (OG, Pittsburgh): apesar da escolha em uma rodada mais a frente do draft, Johnson é um dos destaques de Pittsburgh e com bons números, vai somar bastante na proteção ao vovô Carson Palmer.

Atlanta Falcons

Rodada 3, Pick 11 (75) – Duke Riley (LB, LSU): além de excelente LB, Riley é componente importante de special teams. Escolha importante dos Falcons no que têm como proposta para chegar a mais um Super Bowl.

Rodada 5, Pick 5 (149) – Damontae Kazee (CB, San Diego State): Kazee não é dos mais brilhantes, mas é uma boa escolha para uma quinta rodada. O cara tem faro, e foi chamado de “cachorro” (no bom sentido da palavra) pelo treinador de defesa do time.

Baltimore Ravens

Rodada 3, Pick 14 (78) – Tim Williams (OLB, Alabama): com potencial para ser um dos melhores da liga em sacks, Williams é uma excelente escolha para Baltimore. Vai chegar voando nessa defesa, já fortíssima, dos Ravens.

Buffalo Bills

Rodada 2, Pick 31 (63) – Dion Dawkins (OG, Temple): com grade de 5.8 e convertido de DT para sua função atual, Dawkins impressiona na sua proteção ao QB e na leitura de jogadas. Olho no cara!

Rodada 5, Pick 28 (171) – Nathan Peterman (QB, Pittsburgh): um QB que particularmente me agrada. Com leitura boa no pocket e braço potente, apesar de ser escolha de quinta rodada, tem potencial para ser franchise player. Mais um para ficar de olho.

Carolina Panthers

Curtis Samuel, saindo da marcação, em Ohio State (Foto: Mark J. Rebilas/USA TODAY Sports)

Rodada 2, Pick 8 (40) – Curtis Samuel (WR, Ohio State): dinâmico, versátil e muito atlético, Samuel vai ajudar bastante Cam Newton a voltar com Carolina aos playoffs desse ano.

Chicago Bears

Rodada 2, Pick 13 (45) – Adam Shaheen (TE, Ashland): o cara é pesado, mas corre bem e tem bons números em uma universidade de pouco nome. Tratado como talento especial, Shaheen deve ter sido a escolha preferida dos torcedores em Chicago, já que Trubisky não agradou em nada.

Cincinnati Bengals

Rodada 2, Pick 16 (48) – Joe Mixon (RB, Oklahoma): grade de 6.0 e um dos primeiros lugares na lista dos RB da classe, Mixon não é dos mais idolatrados, mas tem muita explosão e boa leitura de gaps. Certamente, vai ajudar bastante no backfield dos Bengals.

Rodada 3, Pick 9 (73) – Jordan Willis (OLB, Kansas State): com potencial para bom número de sacks na liga, Willis foi analisado como o cara que “pode fazer jogadas para o time”, por especialistas. É, até certo ponto, uma incógnita, mas pode ajudar bastante se bem utilizado.

Cleveland Browns

Rodada 2, Pick 20 (52) – DeShone Kizer (QB, Notre Dame): não tendo escolhido QB na primeira rodada, (apesar das 3 escolhas de first round), os Browns podem ter acertado em cheio pegando Kizer. Hue Jackson, head coach do time, já disse que vai dar uma chance para o calouro. Teremos finalmente um QB em Cleveland?

DeShone Kizer e a promessa de melhorias em Cleveland (Foto: (Charles Rex Arbogast/ AP)

Rodada 3, Pick 1 (65) – Larry Ogunjobi (DT, North Carolina Charlotte): grade de 5.7, o cara é um marcador nato do jogo aéreo. Cortando passes e lendo o olho do quarterback, ele foi mais uma escolha acertada dos Browns para seu novo roster.

Rodada 6, Pick 1 (185) – Caleb Brantley (DT, Florida): com um currículo extracampo de dar inveja em Johnny “Football” Manziel, Brantley é “um rodada 6” por causa de manchas graves no histórico. O futebol dele é indiscutível. Mas a princípio, os problemas criminais vão tirar ele do mundo esportivo rapidinho. Os Browns parecem já ter dado para trás na escolha, sinalizando não ter mais interesse no atleta. Talvez a única escolha precipitada do excelente draft de Cleveland.

Denver Broncos

Rodada 7, Último Pick Geral (253) – Chad Kelly (QB, Ole Miss): apesar de vir de uma universidade famosa por revelar Archie e Eli Manning e ser sobrinho de Jim Kelly, Chad é o Mr. Irrelevant (última escolha geral) desse draft. O cara foi pego dormindo em sua casa, esperando ser escolhido e deve ser bem aproveitado em Denver, apesar de toda a brincadeira que envolve o last pick (e essa foto patética, convenhamos).

Sim, o cara dormiu esperando ser escolhido! Mereceu o título de Mr. Irrelevant (Foto: Reprodução/ESPN)

Detroit Lions

Rodada 2, Pick 21 (53) – Teez Tabor (CB, Florida): cotado para figurar na primeira rodada, Tabor não é dos mais rápidos, mas é jogador de equipe e tem habilidades reconhecidas por analistas. Vai ajudar bastante essa secundária precária dos Lions.

Green Bay Packers

Rodada 2, Pick 1 (33) – Kevin King (CB, Washington): primeira escolha dos Packers, que não participou da primeira rodada, o cara promete ajudar muito na secundária de Mike McCarthy. Com habilidade para pressionar e ler o jogo do QB adversário, King deve reinar (olha o trocadilho infame!) em Green Bay.

Rodada 2, Pick 29 (61) – Josh Jones (S, N.C. State): o cara é versátil. Pode jogar de safety ou de cornerback e ainda ajuda nos special teams. Mais uma boa escolha dos Packers, que fez uma bela segunda rodada nesse draft.

Houston Texans

Rodada 2, Pick 25 (57) – Zach Cunningham (LB, Vanderbilt): mais um cotado para a primeira rodada e que cairá como uma luva em Houston. Tem muito a aprender com J.J. Watt e se bem aproveitado, vai tornar essa defesa ainda mais monstruosa.

Cunningham e seus tackles agressivos chegam a Houston (Foto: Frederick Breedon/Getty Images)

Rodada 3, Pick 25 (89) – D’Onta Foreman (RB, Texas): para um corpo de corredores que não é dos melhores, aliado ao que DeShaun Watson tem a oferecer, Foreman vai auxiliar o backfield dos Texans. Boa escolha para uma terceira rodada.

Indianapolis Colts

Rodada 2, Pick 14 (46) – Quincy Wilson (CB, Florida): cotado para a primeira rodada, Wilson é um cornerback especialista em pressão ao ataque adversário, algo que falta a defesa dos Colts. Se bem aproveitado, tem tudo para, daqui a alguns anos, ser um dos melhores da liga na posição. Olho nele!

Jacksonville Jaguars

Rodada 2, Pick 2 (34) – Cam Robinson (OT, Alabama): talvez a principal ausência na primeira rodada, Robinson é um monstro. Rápido para seu tamanho, o OT de Alabama vai oferecer uma proteção importante a Blake Bortles e vai ajudar MUITO no jogo corrido de Fournette. Provavelmente, o melhor jogador de linha ofensiva da classe.

O cara é uma montanha! Com vocês, Cam Robinson (Foto: Jason Getz/USA TODAY Sports)

Rodada 4, Pick 3 (110) – Dede Westbrook (WR, Oklahoma): Westbrook… Oklahoma… podia ser o Russell. E, apesar de ser escolha de quarta rodada, o cara tem futuro. Apesar dos problemas extracampo que o trouxeram para essa rodada, seu grade de 5.8, aliado a seus números, apontam para uma boa escolha de Jacksonville.

Los Angeles Chargers

Rodada 2, Pick 6 (38) – Forrest Lamp (OG, Western Kentucky): provavelmente o melhor da posição nessa classe, Lamp era mais um esperado na primeira rodada. Os Chargers, que nada tem a ver com isso, escolheram um bom jogador e devem aproveitá-lo bem na proteção a Rivers.

Minnesota Vikings

Rodada 2, Pick 9 (41) – Dalvin Cook (RB, Florida State): mais um com problemas extracampo. Não fosse isso, Dalvin Cook certamente seria uma das primeiras escolhas gerais nesse draft. Um dos melhores running backs (e para alguns, o melhor) da classe, o cara vai brilhar em Minnesota se deixar os problemas de lado e focar em jogar bola.

Dalvin Cook, em Florida State, fazendo o que sabe de melhor: correndo para anotar TDs (Foto: Reprodução/Orlando Sentinel)

Rodada 3, Pick 6 (70) – Pat Efflein (C, Ohio State): um dos poucos centers de qualidade da classe vai para os Vikings. Outra boa escolha para uma terceira rodada de uma posição carente em Minnesota.

New Orleans Saints

Rodada 3, Pick 3 (67) – Alvin Kamara (RB, Tennessee): grade de 5.9, o cara é uma escolha a ser trabalhada para o futuro dos Saints. Com Adrian Peterson e Mark Ingram, ele deve ter poucas chances, mas sua qualidade é indiscutível e ele pode aparecer ainda nessa temporada.

New York Jets

Rodada 3, Pick 15 (79) – ArDarius Stewart (WR, Alabama): mais um que, particularmente, me agrada bastante. Rápido, atlético e com bons números, deve ser referência logo na temporada de estreia considerando o fraco corpo de recebedores dos Jets.

Oakland Raiders

Rodada 2, Pick 24 (56) – Obi Melifonwu (S, Connecticut): um combine bem aproveitado e bons números botaram Melifonwu como cotado para a primeira rodada do draft. Se depender dele e de Gareon Conley (primeira escolha do time), a secundária problemática de Oakland vai vir voando em 2017.

O cara é grande, forte e muito rápido. Melifonwu no 40-yard dash do NFL Combine. (Foto: Brian Spurlock/USA TODAY Sports)

Philadelphia Eagles

Rodada 2, Pick 11 (43) – Sidney Jones (CB, Washington): comparado a Marcus Peters, Jones deve adicionar força e velocidade para a secundária inconsistente de Philly. Instintivo, é valido ficar de olho nas interceptações que o calouro pode mostrar para a gente na liga. Olho nele!

Rodada 3, Pick 35 (99) – Rasul Douglas (CB, West Virginia): boa escolha para uma rodada 3, Douglas veio para mudar logo todos os corners do roster dos Eagles.

Pittsburgh Steelers

Rodada 2, Pick 30 (62) – JuJu Smith-Schuster (WR, USC): cotado por alguns poucos especialistas para figurar logo na primeira rodada, Schuster é grande e rápido. Deve botar fogo na briga por posições para receber os passes açucarados de Big Ben.

Tampa Bay Buccaneers

Rodada 2, Pick 18 (50) – Justin Evans (S, Texas A&M): companheiro de Myles Garrett, o cara é agressivo, assim como o ex-companheiro de equipe. A vontade às vezes o deixa perder alguns tackles, mas os números impressionam e fazem Evans merecer destaque aqui no resumão.

Rodada 3, Pick 20 (84) – Chris Godwin (WR, Penn State): ele pode correr e receber com facilidade. Excelente escolha para uma rodada 3 e tem muito a conversar com Jameis Winston. Vai render essa resenha em Tampa. Olho nele!

Washington Redskins

Rodada 2, Pick 17 (49) – Ryan Anderson (OLB, Alabama): Alabama revela excelentes jogadores e Anderson não fica para trás. Extremamente físico, com explosão e força, o OLB vai ajudar bastante a defesa de Washington a brilhar na próxima temporada.

Concordam, discordam ou muito pelo contrário? A NFL vai vir mais uma vez com tudo para encher os olhos de nós, apaixonados, não apenas com as escolhas de calouros, mas com todas as trocas que envolvem outros jogadores.

Depois das análises do draft, voltamos aos times e suas campanhas na temporada passada. Enquanto a liga não começa, continuamos no aguardo. Afinal, setembro sempre chega!

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Guilherme Porto

Guilherme Porto

Algo entre o famoso soccer e o lacrosse universitário da Irlanda do Norte me interessam. A paixão por esportes (lê-se quase todos), acompanhada de uma boa resenha e uma cerveja gelada me encantam bastante. E, apesar de não podermos beber aqui, o resto garanto passar com agilidade e muita informação.



Related Articles

NFL – Análise da temporada: Denver Broncos

Se a energia do ataque de Denver fosse igual à animação desta moça (Foto: Justin Edmonds/Getty Images)… Sem Payton Manning,

NFL – Análise da temporada: Buffalo Bills

Infelizmente, essa é uma cena que o torcedor dos Bills se acostumou a ver (Foto: Patrick Smith/Getty Images) Um time

NFL – Análise da temporada: Arizona Cardinals

(Foto: Rick Scuteri/AP) Palmer decadente, Fitzgerald como um vinho e um David Johnson monstruoso; veja como foi a temporada do

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido