Uma derrota preocupante para o futuro

Uma derrota preocupante para o futuro
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Muralha falhou feio no primeiro gol do Furacão (Foto: Rodolfo Buhrer / Reuters)

A falta de poder de decisão preocupa o Flamengo para o restante da temporada

O Flamengo perdeu por 2 a 1 para o Atlético Paranaense nesta quarta-feira (26/04) em partida válida pelo grupo 4 da Copa Libertadores da América. A derrota foi dolorosa para nós torcedores. Vimos o time jogar bem novamente, criar chances, desperdiçá-las e ver o adversário levar a vitória. A derrota é preocupante pensando no futuro do time. Não em termos de classificação, já que ela não muda muita coisa. O Flamengo ainda tem boas chances de se classificar na próxima rodada. Mas pelo modo como o time perdeu, mais uma vez.

O Flamengo começou pressionado, acuado. Parecia que seria engolido pelo Furacão. Mas passado o abafa inicial, o Mengão se encontrou em campo e criou boas chances. Guerrero fez uma baita partida, mas não conseguiu deixar seu gol. E quando o rubro negro carioca vivia seu melhor momento no primeiro tempo, veio o balde de água fria. Após uma falta bem discutível na intermediária, Thiago Heleno completou o cruzamento para o fundo das redes, contando com uma falha grave de Muralha. O goleiro reclamou de falta de Eduardo da Silva, que realmente o atrapalhou. Mesmo assim, o ocorrido não diminui seu erro no lance.

Com a vantagem no placar, o Atlético deu a bola para o Flamengo, que se comportou bem e criou inúmeras chances. O gol parecia questão de tempo. No segundo tempo, com as alterações que colocaram o time mais à frente, as oportunidades aumentaram, mas nada de sair o gol. Leandro Damião cabeceou uma bola no travessão e outra por cima do gol. Gabriel furou ridiculamente na cara do gol, sozinho. Até que aquela velha máxima do “quem não faz, leva” bateu à nossa porta. Após uma cobrança de lateral, Felipe Gedoz fez o segundo. Foi o golpe final.

Apesar da boa atuação, Guerrero passou em branco (Foto: HEULER ANDREY/AFP/Getty Images)

O Flamengo ainda teve tempo de nos dar aquela falsa esperança de que viria um empate. Poucos minutos depois, Willian Arão diminuiu, após cobrança de escanteio. Mas não deu tempo para mais nada. O árbitro, bem caseiro por sinal, deu apenas 3 minutos de acréscimo e o Atlético soube segurar a bola no ataque, demorar nas reposições e não correr riscos.

Mais uma derrota fora de casa, mais uma jogando razoavelmente bem. E isso é preocupante. Demonstra a falta de poder de decisão do time. Tudo bem que estava bem desfalcado, mas nós precisamos ter quem decida na ausência de Diego. A força do elenco está sendo questionada justamente. Gabriel não tem peso técnico, físico e mental para um time como o Flamengo, que sonha alto. Muralha mais uma vez não se mostrou confiável. A classificação pode não estar em risco, mas a preocupação para o resto da temporada é real.

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Gabriel Rolim

Gabriel Rolim

Jornalista, rubro negro de arquibancada ou de bar. Rap é minha trilha sonora. No basquete, a torcida vai pro Miami Heat, além do Mengão, é claro. Dou meus palpites sobre Rap lá no canal 5obre no Youtube.



Related Articles

Início de um período de testes

Nenê é uma peça fundamental do Vasco para enfrentar os próximos clássicos (Foto: Paulo Fernandes/vasco.com.br) O Vasco terá pela frente

Ruim para ambos

Assim como Berrío e Marlon Freitas brigaram pela bola, Flamengo e Fluminense brigaram pela vitória; todos falharam, motivo de grande

Vasco 119 anos: não há muito o que comemorar

Vasco 119 anos: o clube vai caminhando, mais uma vez, rumo à escuridão (Foto: Marcelo Sadio/Vasco da Gama). Vasco 119

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido