Vettel vence novamente no GP do Bahrein

Vettel vence novamente no GP do Bahrein
FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

A festa é da Ferrari (Foto: Sutton Motorsport Images)

A terceira etapa da temporada foi, sem dúvida, a mais emocionante até agora.

O Grande Prêmio do Bahrein era cercado de expectativas. Depois de uma vitória de Vettel na primeira corrida e uma de Hamilton na segunda, a Fórmula 1 partiu para sua terceira etapa, hoje, no pequeno reino árabe. O domingo culminou com a vitória do alemão Sebastian Vettel que assumiu a ponta no campeonato de pilotos.

A corrida é realizada desde 2004, no meio do deserto, em um cenário espetacular. A partir de 2014, o show ficou ainda maior: o GP passou a ser realizado à noite. Além disso, essa é a primeira etapa do ano exibida no Brasil em um horário razoável durante o dia, e não de madrugada. Para muitos fãs brasileiros, a temporada começa hoje. E começa bem.

Os treinos

A emoção começou no treino classificatório de sábado. No Bahrein, a Mercedes foi mais soberana do que nunca. Os pilotos da equipe anotaram os melhores tempos no Q1, Q2 e Q3. Não sobrou para ninguém. No final, a surpresa: Valtteri Bottas marcou sua primeira pole-position.

Todo mundo pareceu satisfeito com a primeira pole de Bottas. Hamilton o parabenizou na coletiva de imprensa pós treino (Foto: Sutton Motorsport Images)

O Q1 e o Q2 não foram nem um pouco problemáticos para as equipes grandes. Os carros da Mercedes, Ferrari e Red Bull passaram para a última bateria sem dificuldade alguma. Porém, alguns fatos surpreenderam. Carlos Sainz Jr. foi eliminado ainda no Q1 devido a problemas mecânicos. Esperava-se mais do promissor piloto espanhol, que ficou “na mão” dessa vez. Conseguiu apenas a 16ª posição no grid. Por outro lado, o também promissor Pascal Wehrlein conseguiu levar sua Sauber ao Q2, e anotou a 13ª posição. Quase um milagre para a pequena equipe suíça. Ao fim do Q2, mais uma grande surpresa: os dois carros da Renault conseguiram se classificar para o Q3.

O Q3 foi, com certeza, a parte mais emocionante do treino. As duas Mercedes iam marcando bons tempos, até que Lewis Hamilton marcou uma ótima volta. Parecia que a pole seria, mais uma vez, do piloto inglês. Lewis estava de olho no recorde de mais pole-positions seguidas. Porém, em sua última chance, Valtteri Bottas conseguiu uma volta primorosa, impressionante. Assim, o piloto superou Hamilton e marcou a primeira pole de sua carreira. Ele comemorou discretamente, bem ao estilo finlandês.

A prova

As primeiras voltas do GP barenita também foram emocionantes. Logo na largada Vettel tomou a segunda posição de Hamilton, que largou pelo lado sujo da pista e teve dificuldades. O brasileiro Felipe Massa também largou bem, pulou algumas posições. O começo da prova foi bem disputado, com muitas ultrapassagens no pelotão do meio. Além disso, os primeiros colocados andaram muito próximos, com Vettel pressionando Bottas, que liderava no momento.

Primeiras voltas, Bottas liderando… seria a primeira vitória? (Foto: Sutton Motorsport Images)

Depois das 10 voltas completadas, começa a movimentação nos boxes. Nesse meio tempo, uma colisão entre Sainz e Stroll na saída do pit lane provoca a entrada do safety car, e a parada de todos os carros. A partir desse evento, muita coisa muda. No troca-troca de posições, Vettel assume a ponta e deixa Bottas em segundo e Hamilton em terceiro. Porém, ao entrar nos boxes, o piloto inglês tentou uma estratégia louca: reduziu muito a velocidade, para chegar ao box de sua equipe em sincronia com a saída de Bottas. Sua manobra atrapalhou Ricciardo, que vinha atrás, e lhe rendeu uma punição de 5 segundos.

Após as trocas, Vettel e Bottas saíram com pneus supermacios. A estratégia deles não foi muito acertada, pois os supermacios não tiveram bom desempenho na pista do Bahrein. Já Hamilton utilizou pneus macios, mais duráveis. Sua intenção era não parar mais até o fim da prova. Por isso, a equipe ordenou a Bottas que desse passagem ao companheiro, que teria mais condições de brigar pela vitória. Assim foi feito. Depois, Vettel e Bottas  pararam novamente, já que a estratégia usada por eles os obrigava a mais um pit stop. Deixaram a primeira posição para Hamilton, que teria seus 5 segundos de punição acrescidos ao tempo de prova.

A estratégia da Ferrari nos boxes não foi a mais inteligente, mas a gente perdoa. (Foto: Sutton Motorsport Images)

A partir de então, começou uma batalha matemática. O piloto alemão, com os pneus novos, foi tirando mais de 1 segundo por volta de sua diferença para o inglês. A lógica era terminar a prova menos de 5 segundos atrás, pois Lewis ainda receberia a punição. Mas não deu para Hamilton. Ele teve que parar novamente, deixando que Vettel assumisse a ponta em definitivo. Após a segunda parada do britânico, que voltou atrás de seu companheiro, a Mercedes repetiu o jogo de equipe. Final: Vettel em primeiro, conquistando sua 44ª vitória. Hamilton em segundo, Bottas em terceiro. Mais uma vitória emocionante da Ferrari, que mostra que pode superar o favoritismo das flechas de prata.

44ª. Ele já está acostumado (Foto: Sutton Motorsport Images)

Mais destaques

Verstappen, que é sempre um destaque, dessa vez foi ofuscado. Abandonou a prova logo no começo, devido a uma estranha falha nos freios. Suas rodas travaram, fazendo com que o carro seguisse em linha reta e batesse no muro. Aliás, a prova foi marcada por muitos abandonos. Apenas 13 pilotos completaram.

A disputa no meio do grid também foi interessante. Alonso, Palmer, Wehrlein e Kvyat batalharam intensamente pelas posições intermediárias. Ainda que essa disputa não valesse muita coisa, é sempre legal ver ultrapassagens e carros lado a lado na pista. Aqui vale ressaltar o desempenho da Renault, que foi bem nos treinos e fez uma boa prova, apesar de suas limitações. Hulkenberg e Palmer, os dois pilotos da equipe, terminaram em 9º e 13º, respectivamente, mas deixam esperanças de um futuro bom para o time. Esse fim de semana talvez tenha sido a primeira vez em que Palmer mostrou sinais de vida na F1, já que tem sido totalmente coadjuvante desde que entrou na categoria.

Apesar dessa disputa legal, é preciso ressaltar o desempenho péssimo da McLaren. Os pilotos da equipe, Alonso e Vandoorne, têm imensas dificuldades até para chegar à zona de pontuação. No Bahrein, Vandoorne não largou. Alonso ficou apenas no meio do grid, disputando posições que sequer valiam pontos. Ele se estressou, mandou um rádio à equipe resmungando: “nunca tive um carro com tão pouca potência”. No final da prova, também abandonou. O motor não aguentou. São dias sombrios na tradicional McLaren.

No pódio, os pilotos da Mercedes demonstravam total descontentamento. Bottas tem razões óbvias para estar chateado: após marcar a pole e sonhar com sua primeira vitória, teve que dar passagem à Hamilton por ordem da equipe. Duas vezes. Hamilton, por sua vez, mostrou a mesma cara fechada de todas as vezes em que ele não vence. Compreende-se. Ele agora está em segundo no campeonato, vendo Vettel e a Ferrari voltarem ao protagonismo. O único alegre era, claro, o vitorioso piloto alemão. Ele tem motivos para comemorar, e o torcedor também. Uma vitória da Ferrari é sempre uma festa, um momento especial, ainda mais depois de uma disputa tal como foi. Que 2017 seja cheio de corridas como essa.

Bottas e Hamilton estavam desconfortáveis, mas foi sim um bom fim de semana para todos (Foto: Sutton Motorsport Images)

FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Diogo Bugalho

Diogo Bugalho

Estudante de jornalismo interessado por assuntos muito diversos, como esportes e carros. Ao juntar as duas paixões, virou um super fã de automobilismo que acompanha a Formula 1 desde criancinha, literalmente. Hoje, além de assistir tudo que pode da F1, ainda tenta acompanhar outras categorias de corridas, seja de carro, de moto ou de qualquer coisa.



Related Articles

Quem será o próximo rei das pistas?

Atual campeão, Nico Rosberg não defenderá o título, após anúncio de surpreendente aposentadoria (Foto: Getty images) Temporada 2017 começa em

Na casa italiana, Hamilton faz sua cama e a RBR desfila seu piloto de ouro

A tradicional festa italiana em Monza (Foto: Divulgação/ Formula 1) Hamilton, tão distante dos outros em sua primeira colocação, nem

GP de Mônaco: Vettel conquista sua terceira vitória em 2017

O hairpin de Mônaco: curva mais lenta da F1 (Foto: Sutton Images) O final de semana em Mônaco foi perfeito

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido