Raio-X: Em busca do sonho europeu, os gigantes alemães seguem no jogo

Raio-X: Em busca do sonho europeu, os gigantes alemães seguem no jogo
FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Aurinegros, Bávaros e Azuis-Reais terão jogos complicados. Por incrível que pareça, o Schalke é o mais favorito deles

A caminhada até aqui: BVB Borussia Dortmund

A estreia das equipes alemãs na fase de quartas de final acontece hoje (11), com a partida entre Borussia Dortmund e Monaco, no estádio Signal Iduna Park, casa dos aurinegros. O Borussia foi o líder de sua chave na fase de grupos e tem motivos para se orgulhar de sua campanha: foram seis vitórias, um empate e uma única derrota, de 1×0 contra o Benfica, no jogo de ida das oitavas.

Fora o revés contra os Encarnados, a equipe, que conta com nomes como Reus, Götze e Aubameyang, conseguiu grandes resultados, incluindo dois empates contra o poderoso Real Madrid e duas vitórias contra o Legia Varsóvia que se tornaram históricas por diferentes motivos: fora de casa, um sonoro 6 a 0. Em casa, inacreditáveis 8 a 4, em jogo com o maior número de gols na história da competição.

Reus e Kagawa comemoram gol em jogaço contra o Legia (Foto: Getty Images)

Retrospecto na Bundesliga

Se a campanha na Champions League é de encher os olhos, o mesmo não pode ser dito na liga alemã. A expectativa da equipe era de brigar pelo título com o Bayern, mas o quarto lugar vem sendo amargo para o BVB e equipes sensação como RB Leipizig e Hoffenheim ocupam o espaço que, em teoria, deveria ser dos aurinegros.

Apesar disso, o atual momento de forma do clube é positivo, já que o Borussia perdeu apenas dois dos últimos 14 jogos da liga. É bem verdade que um deles foi para o Darmstadt, lanterna isolado da competição. Mas com oito jogos para o fim da liga, a vaga na Champions League da próxima temporada parece estar encaminhada e ainda há tempo de destronar o Leipzig da vice-liderança.

O adversário e a análise do confronto

O Borussia Dortmund faz uma campanha muito boa na Champions League até aqui, mas não dá para duvidar da capacidade do Monaco. A equipe francesa alinha em um 4-4-2 clássico, mas com muita mobilidade e velocidade na frente, contando com a presença de jovens como Bakayoko e a potencial estrela Mbappé. Por outro lado, o Dortmund de Tuchel alterna entre o tradicional 4-2-3-1 e o arriscado 3-1-4-2, o que pode trazer confusão ao treinador português Leonardo Jardim. A expectativa é de que este seja um duelo tático interessante.

Por decidir em casa e pela campanha recente, o Monaco chega com um leve favoritismo para o confronto. Apesar disso, o duelo promete ser aberto, eletrizante e cheio de gols, especialmente pelo fato de as duas equipes contarem com muitos jovens em seus elencos. Para avançar, o Borussia precisa neutralizar a velocidade dos centroavantes franceses e dominar o meio de campo, além de contar com a força da muralha amarela no jogo de ida.

Palpitão: Serão partidas com emoção até o final, mas o Monaco avança novamente pelos gols fora de casa.

A caminhada até aqui: Bayern München

Desde o sorteio, sabia-se que os bávaros não teriam dificuldades em avançar para as oitavas. Com PSV e Rostov como forças secundárias do grupo, cabia ao Atlético de Madrid a missão de parar os alemães. Os resultados foram de acordo com as expectativas da equipe: duas vitórias contra o PSV e três pontos contra os Colchoneros (vitória em casa e derrota fora). No entanto, a derrota para o Rostov por 3 a 2 na Rússia foi não só um acidente grave no percurso, mas também culminou no segundo lugar do grupo.

Apesar disso, a caminhada nas oitavas de final foi extremamente tranquila, já que o Bayern aplicou 5 a 1 no Arsenal em casa e, não satisfeito, repetiu o placar na volta. Placares que cimentaram a vaga nas quartas sem qualquer contestação e dão confiança para a sequência.

Alaba fez até a sarrada no ar contra o Arsenal (Foto: Getty Images)

Retrospecto na Bundesliga

A campanha do Bayern na Champions League pode ser considerada boa, mas não supera o impacto de mais um retrospecto excepcional na liga nacional. Em 27 jogos, os números são impressionantes: mais vitórias (20), menos derrotas (2, junto com o Hoffenheim), mais gols pró (67) e menos gols contra (14) do torneio. Estes números que deixam a equipe da Baviera dez pontos a frente do RB Leipzig, vice-líder e que chegou a incomodar em certo ponto do torneio.

Além disso, o clube conta com o inspirado Robert Lewandowski, vice-artilheiro da competição com 24 gols, um gol atrás do líder no quesito, Aubameyang. De qualquer forma, o Hoffenheim conseguiu três pontos preciosos com o gol de Kramaric na última rodada e acabou com a invencibilidade de 17 jogos do Bayern – a última derrota havia sido para o Borussia Dortmund, também por 1 a 0. O clube enfrenta uma sequência difícil de jogos na Bundesliga, com confrontos diante do próprio Dortmund e do Leverkusen, além do mata-mata decisivo na competição continental, o que demandará um esforço físico grande por parte dos atletas.

O adversário e a análise do confronto

O Bayern seria considerado favorito contra praticamente todas as equipes da Europa, mas uma das poucas exceções à regra é justamente o adversário dos alemães: o Real Madrid. Atual campeã da competição, a equipe merengue tem um elenco estrelado, mas não é exatamente a equipe com o futebol mais vistoso no momento.

Ainda assim, não dá para tirar qualquer por cento de chance do clube espanhol, que lidera a liga com dois pontos de vantagem em relação ao Barcelona e vem de cinco vitórias seguidas, além de possuir o maior número de vitórias da competição até aqui, com 22. Por outro lado, a campanha na Champions não foi tão boa assim na fase de grupos, já que os espanhóis foram superados pelo Borussia Dortmund – equipe grande, mas inferior ao nível do Real Madrid. Além disso, o empate contra o Légia custou caro. Nas oitavas, duas vitórias por 3 a 1 contra o Napoli. Resultados convincentes, apesar de alguns momentos de pressão vividos, especialmente na partida de volta.

Para os torcedores supersticiosos do Bayern, duas más notícias: primeiramente, o Real ainda não perdeu na Champions (são cinco vitórias e três empates). Em seguida, vem o fato de que na última partida entre os dois o resultado foi um placar agregado acachapante, que terminou em 7 a 0 e com a classificação do Real Madrid para as finais da Liga dos Campeões de 2013/14.

Palpitão: Duas das maiores equipes da Europa se enfrentam e tudo pode acontecer, mas o Bayern passa na bacia das almas.

A caminhada até aqui – Schalke 04

A Liga Europa também tem espaço nas análises da RISE sobre o futebol alemão, já que o Schalke 04 conseguiu avançar às quartas de final e enfrenta o Ajax, decidindo em casa. A campanha dos Azuis-reais começou no Grupo I da competição, onde o clube enfrentou adversários com alguma tarimba em competições continentais: Krasnodar, RB Salzburg e Nice, este último que vinha voando na Ligue 1. Apesar disso, a campanha foi quase irretocável, com apenas uma derrota por 2 a 0 para os austríacos do Salzburg, quando a equipe já estava classificada.

Nas fases de mata-mata, a boa campanha continuou: primeiro, a classificação com facilidade contra o PAOK, da Grécia, com direito a um 3 a 0 fora de casa. Nas oitavas de final, o confronto foi muito mais apertado, mas não era para menos: o adversário foi tradicionalíssimo Borussia Mönchengladbach, que foi eliminado da Champions League e deu trabalho em um grupo com Manchester City e Barcelona. No primeiro jogo, empate em 1 a 1 na Veltins-Arena. Na volta, a equipe de Gelsenkirchen saiu perdendo por 2 a 0, mas buscou a classificação pelos gols fora de casa, graças aos tentos de Goretzka e Bentaleb.

O capitão Höwedes comemora, em cena que foi comum nessa Europa League. Será que agora vai? (Foto: picture-alliance/dpa/G. Kirchner)

Retrospecto na Bundesliga

Se a campanha europeia vem chamando atenção, o mesmo não pode ser dito do desempenho do Schalke na Bundesliga. Poucos esperariam que a equipe brigasse pelo título, mas as apostas indicavam ao menos a briga por vagas para a Champions ou para a Europa League no sempre disputado Campeonato Alemão.

Vinte e sete rodadas depois, a realidade é outra: o clube amarga a modesta 12ª posição, com 34 pontos e está mais perto da zona de rebaixamento do que da qualificação para a Europa: são cinco pontos de distância para o Augsburg, que ocupa a zona de playoffs e seis para Hertha Berlim e Colônia, que ocupam as vagas da Europa League. A equipe sofre poucos gols, mas também marca poucos: foram 33 a favor e 31 contra até aqui.

A campanha decepciona especialmente se analisarmos a qualidade do elenco, que conta com jogadores habilidosos como Höwedes, Goretzka, Konoplyanka e Huntelaar, que ainda não parecem ter dado liga sob as ordens do treinador Markus Weinzierl.

O adversário e a análise do confronto

Do outro lado da chave está o tradicionalíssimo Ajax, que apesar da grandeza, não vive seus dias de glória. A equipe foi limada de forma vexatória na fase de playoffs da Champions League ao sofrer um 4 a 1 inesperado diante do Rostov e foi parar na Europa League. Desde então, as atuações da equipe melhoraram.

Na fase de grupos, os holandeses encararam adversários relativamente difíceis, como o espanhol Celta de Vigo e o belga Standard Liége, do goleiro Victor Valdés. Ainda assim, a equipe passou sem muitas dificuldades, com quatro vitórias e dois empates no período. Na segunda fase, o adversário foi o Legia Varsóvia, recém-eliminado da Champions League. O confronto foi complicado e só se decidiu no segundo jogo, com vitória magra por 1 a 0 na Amsterdam Arena. Para chegar às quartas, os holandeses ainda tiveram que passar por mais uma equipe oriunda da Champions: o Kobenhavn, após derrota por 2 a 1 na Dinamarca e vitória por 2 a 0, jogando em casa.

Apesar de ter enfrentado adversários importantes, esta é a primeira vez que o Ajax enfrenta um oponente teoricamente superior. No entanto, o Schalke precisará se impor e tomar cuidado com a habilidade do setor ofensivo da equipe, que conta com nomes promissores como Ziyech, Dolberg e Younes, além de ter que cuidar do armador Klaassen e de Schöne, sempre letal nos chutes de fora da área. A defesa parece ser o ponto fraco dos holandeses e, por conta da habilidade do setor ofensivo dos alemães, é preciso que o time de Gelsenkirchen tire vantagem deste ponto.

Palpitão: O Ajax é um clube perigoso, com vitalidade e vive bom momento na Eredivisie, mas o Schalke é mais time e deve fazer valer o fator casa. Dá Alemanha nas semifinais.

 

FacebookTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare
Breno Peçanha

Breno Peçanha

Natural de São Gonçalo, estudante de jornalismo na UFF e estagiário do Globoesporte.com. Vascaíno fanático e torcedor do Leeds United em solo europeu, além de simpatizar com o St. Pauli na Alemanha. Uma das coisas que mais gosto é ler e contar histórias do futebol que pouca gente conhece, especialmente se der para colocar humor. Introvertido, apesar de tudo.



Related Articles

Bundesliga – Rodada 7: déjà vu alemão

Kagawa marcou o segundo gol do Dortmund na partida (Foto: Divulgação/BVB) Outra vitória do Dortmund e outro empate do Bayern:

Wolfsburg tem a obrigação de se manter na Bundesliga

Mario Gomez pode ser a salvação da temporada dos Lobos (Foto: Christian Charisius/dpa) Os lobos fizeram uma ótima temporada no ano

Em jogo cheio de reviravoltas, Dortmund vence Bayern mesmo fora de casa e está na final da Copa da Alemanha

Dembelé comemora muito o gol da vitória do BVB (Foto: Reuters) Em partida com duas viradas, chances incríveis e golaços,

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido