Ajax x Feyenoord: um clássico para a posteridade

Ajax x Feyenoord: um clássico para a posteridade
FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare

Foto: SkySports

Com gol de David Neres e show de Justin Kluivert, Ajax vence rival e cola na liderança

Ajax e Feyenoord fizeram, no último domingo (2), um jogo digno da grandeza do maior clássico do futebol holandês, que divide as duas cidades. Com muitas chances de gol, a partida merecia um placar maior do que o 2 a 1 final, se não fossem as grandes defesas do goleiro Jones, do Feyenoord. Ele só não conseguiu evitar a derrota do seu time.

O time de Roterdã começou a partida no topo da tabela da Eredivisie, seis pontos à frente dos rivais. Jogando fora de casa, na Amsterdam Arena, um empate não seria má ideia. Só esqueceram de avisar o Ajax. Logo aos 50 segundos de bola rolando, Schöne abriu o placar com uma pancada venenosa de fora da área.

O gol logo no início não inibiu o Ajax, que tinha no seu trio de ataque a velocidade e o ímpeto necessários para bagunçar a defesa rival. O time da capital chegou a ter mais de 60% da posse de bola, e a pressão em busca do segundo tento era constante.

Tanto esforço havia de ser recompensado. E o gol saiu dos pés do brasileiro David Neres – recém-contratado do São Paulo, pela cifra de 15 milhões de euros. Em sua estreia como titular, Neres marcou o primeiro gol com a nova camisa, na sua segunda partida nos profissionais do Ajax.

Com o domínio técnico e tático de todo seu coletivo, seria difícil citar um destaque na equipe do Ajax. Porém a jovem revelação Justin Kluivert roubou a cena. Sempre incisivo, ele fez por merecer a chance como titular, que o consagrou como o jogador mais jovem a atuar no clássico – posto que pertencia a Clarence Seedorf, desde 1993.

Para orgulho do seu pai, Patrick Kluivert, ex-atacante e ídolo da seleção holandesa da década de 90, o filho pródigo estava inspirado. Com um repertório vasto de dribles e lances de efeito, Justin distribuiu sua habilidade democraticamente entre seus rivais, que tentavam, em vão, pará-lo.

O gol de honra dos líderes só saiu nos acréscimos finais da partida, com Kramer. Nada que interferisse no placar, mas que só abrilhanta a disputa do clássico. Faz pensar que, em época de crise no futebol holandês, o caminho para reviver os velhos tempos é trilhado pelos pés da nova safra de talentos.

O Ajax tem o projeto de reconquistar sua glória na Europa. Para isso, tem uma fórmula muito promissora – literalmente: aposta em um time muito jovem, com uma impressionante média de idade que gira em torno dos 23 anos.

Com tantos talentos e tanta ousadia dos gestores em investir na juventude para resgatar o tradicional futebol ofensivo, característico dos grandes times da seleção holandesa, não dá para não torcer para que o objetivo seja alcançado.

FacebookLinkedInTwitterFacebook MessengerWhatsAppShare


Related Articles

Bem-vindos à Estocolmo

Ajax e United fazem amanhã a final da Europa League, em Estocolmo, às 15h45, horário de Brasília. Confira as análises

Mourinho, o gênio do não-futebol

O gênio do não-futebol é português: José Mourinho (Foto: Mike Hewitt/Getty Images) O United de José Mourinho, com méritos e

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*

error: Couteúdo protegido